Janeiro 2016

Edição 102

R$14,90Comprar

EDITORIAL

Retomando o fio da meada

Silvio Caccia Bava


PODEROSOS INTERESSES CONTRARIADOS

O golpismo de ontem e o golpismo de hoje

Essa história tem larga tradição entre nós. Ela funciona do mesmo modo desde o começo do século XX – quando o Brasil começou a se transformar em sociedade urbana e industrial – e reúne os mesmos elementos: imprensa conservadora, setores moralistas da classe média e interventores da ordem constitucionalJessé Souza


FASCISMO BRASIL

As ruínas da intolerância

O que embasa o desejo de queda do atual governo federal é, pura e simplesmente, um neofascismo de péssimo odor e calcado no mais genuíno ódio. A aceitação de um dos pedidos de impeachment protocolados na Câmara Federal pelo nefasto presidente da Casa, o deputado Eduardo Cunha (PMDB), é a prova inconteste dissoHelcio Kovaleski


QUAL É O MOTIVO DO FRACASSO LATINO-AMERICANO?

A esquerda em pane

Derrota acachapante na Venezuela, virada à direita na Argentina, crise econômica e política no Brasil, manifestações de rua no Equador: a esquerda latino-americana entrou em pane. As maquinações de Washington não bastam para explicar tal esgotamento.Renaud Lambert


NOVO CENÁRIO DA AMÉRICA LATINA

Sete lições para a esquerda

Para a esquerda, a luta não termina após a vitória nas urnas. A chegada ao poder inaugura novas batalhas pois as forças conservadoras não se desarmam, elas resistem, conspiram, corrompem. Tanto que a onda vermelha iniciada em 1998 começa a ser revertidaÁlvaro Garcia Linera


É O FIM DA REVOLUÇÃO BOLIVARIANA?

Sinais de tempestade na Venezuela

Após dezenove vitórias nas vinte eleições realizadas após a chegada de Hugo Chávez à presidência, em 1998, o termo “derrota” praticamente desapareceu do vocabulário da esquerda venezuelana. O revés diante da direita nas legislativas de dezembro de 2015 irá privar as forças progressistas do controle do país?Gregory Wilpert


RAÍZES BOLIVARIANAS

O chavismo por sua base

Ao lado do chavismo de Estado, derrotado nas urnas, existe outro, enraizado nas classes populares. Uma eleição perdida bastaria para que ele desaparecesse?Yoletty Bracho e Julien Rebotier


DEPENDÊNCIA DAS MATÉRIAS-PRIMAS PERSISTE

Quando os empresários se fazem de surdos


“Quando os Estados Unidos espirram, a América Latina fica resfriada”, costumava-se dizer. Os miasmas já não descem do Norte: eles cruzam o Pacífico. Mas a ameaça continua. Na década de 1950, Raúl Prebisch analisou os perigos dessa dependência em relação aos sobressaltos de economias estrangeiras: Reino Unido, Estados URenaud Lambert


SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO

O paraíso dos super-ricos

Dados revelam que o Brasil é um país de extrema desigualdade e também um paraíso tributário para os super-ricos, que combina baixo nível de tributação sobre aplicações financeiras, uma das mais elevadas taxas de juros do mundo e uma prática pouco comum de isentar a distribuição de dividendos de imposto de renda na pessSérgio Wulff Gobetti e Rodrigo Octávio Orair


EDUCAÇÃO, AUTONOMIA E LIBERDADE

Escolas de luta

Ocupações de escolas em São Paulo retomam forma e estética das revoltas de junho de 2013 e conquistam nova vitória sobre o governo estadual de Geraldo Alckmin. Movimento pode ser entendido como um segundo momento de amadurecimento de uma nova geração de militantesCristiano Navarro e Luís Brasilino


A FRENTE NACIONAL

Cadeado da ordem social

Enquanto na Espanha a exasperação provocada pelas escolhas econômicas impostas pela União Européia impulsionam novas formações políticas para o centro da cena, na França, é a Frente Nacional que tira partido do descontentamento popular. Suas ideias inspiram cada vez mais quase todos seus adversários.Serge Halimi


BERNIE SANDERS

Um socialista em busca da Casa Branca

As primárias nos Estados Unidos começam no dia 1 de fevereiro. Embora, do lado democrata, Hillary Clinton pareça bem colocada para ganhar, Bernie Sanders, seu adversário “socialista”, teve um avanço notável nos últimos meses. Apesar da oposição da mídia e do establishment de WashingtonBhaskar Sunkara


O COMITÊ QUE ENTRAVA QUALQUER HARMONIZAÇÃO SOCIAL

O edificante destino da diretiva europeia sobre licença-maternidade

Certo mistério envolve o impasse, que existe há sete anos, da diretiva que harmoniza a licença-maternidade na União Europeia. Desta vez, a Comissão não é a causa: foram os governos que, no seio de uma instância desconhecida – o Comitê dos Representantes Permanentes –, enterraram o projeto, correndo o risco de suscitarAnne-Cécile Robert


REFUGIADOS NA EUROPA

Um grito sobre Schengen

A União Europeia anunciou em 15 de dezembro de 2015 a criação de uma nova força policial encarregada de vigiar as fronteiras exteriores do continente. Um passo adiante em direção ao retrocesso securitário que não resolverá a crise dos migrantesBenoît Bréville


DIÁLOGO ENTRE NORTE E SUL É ARBITRADO PELOS EUA

A reunificação das Coreias é possível?

Após 63 anos do fim da guerra que dividiu a Coreia, nenhum acordo de paz foi assinado para normalizar as relações entre os países. No Sul, políticos conservadores ruminam uma absorção do Norte segundo o modelo da reunificação alemã, operada pelo nocaute do regime comunista.Martine Bulard


TODO RIO CORRE PARA O MAR

A ligação destruidora do Rio Doce com o oceano após o desastre de Mariana

O Rio Doce caracterizava-se por chegar à costa com baixa turbidez e baixa variabilidade química. Primeiro mudou-se isso com a poluição oriunda da mineração, depois se consumindo quase toda a água do rio. Agora, a água foi trocada por rejeito de mineração. O ambiente marinho da região não está preparado para issoEmiliano Castro de Oliveira


SÉRIE ESPECIAL: PRISÕES - A BARBÁRIE CONTEMPORÂNEA

A atual política de drogas no Brasil: um copo cheio de prisão

Entre 2005 e 2013, a população carcerária dos delitos relacionados às drogas aumentou 345%, saltando de 32.880 para 146.276. O que provocou esse encarceramento e como ele afeta especialmente os pobres é o tema do terceiro artigo da série especialMarcelo da Silveira Campos


SUPEREXPLORAÇÃO NAS CADEIAS GERMÂNICAS

Sindicato de presos na Alemanha

Certamente, o trabalho forçado pertence ao passado. Entretanto, o trabalho não desapareceu do universo carcerário. Ele é apresentado agora como um instrumento de reinserção. Mas o preso é um trabalhador como qualquer outro? Quais são seus direitos e quem os defende?Gilles Bouvaist