Dezembro 2021

Edição 173

R$ 18,00Comprar

IMIGRAÇÃO INSTRUMENTALIZADA

De Minsk a Calais

Edição 173 | União Europeia

EDITORIAL

A ultradireita internacional e os Bolsonaro

Edição 173 | Mundo

CAPA

Feliz ano velho, adeus ano novo

Edição 173 | Brasil

O projeto neoliberal de Temer e Bolsonaro fracassou. Todos os indicadores econômicos e sociais atuais são piores do que aqueles verificados durante os governos petistas. O crescimento e o investimento caíram, enquanto a inflação, o desemprego, a dívida pública, o déficit primário, a pobreza, a miséria, a fome e a desigualdade cresceram


A EXPLOSÃO DO CUSTO DE VIDA

Sobre a inflação de alimentos no Brasil

Edição 173 | Brasil

No Brasil, a exportação de alimentos cresceu. Com o preço dos alimentos chamados de commodities em alta, os produtores de grãos viram na exportação a oportunidade de aumentar seus ganhos, o que levou o país a bater recordes de volumes de grãos e carnes exportados


PAÍS É AUTOSSUFICIENTE EM PETRÓLEO E PRODUTOR DE BIOCOMBUSTÍVEIS

Brasil tem condições de reduzir a inflação dos combustíveis

Edição 173 | Brasil

Se é verdade que a expansão dos preços afetou quase todas as economias globais, é fato que a intensidade desses aumentos variou bastante. Em geral, as nações mais dependentes da importação de petróleo cru têm menor capacidade de não repassar internamente a elevação do barril. Já as nações exportadoras de petróleo apresentam maior resiliência


EXPRESSÕES DA FOME

“Você deve lutar pela xepa da feira e dizer que está recompensado”

Edição 173 | Brasil

Hoje, depois de três anos de política estatal de genocídio aberto contra as populações empobrecidas e racializadas, a situação é catastrófica. Nas periferias e favelas, nos aglomeramos precariamente. Os gastos se concentram em alguns itens muito básicos, e o aluguel, as contas de luz, água e gás, a comida e o transporte consomem tudo o que ganhamos


REVERBERAÇÕES DA VITÓRIA TALIBÃ

Índia, Paquistão e o novo tabuleiro afegão

Edição 173 | Mundo Árabe

A saída das tropas norte-americanas do Afeganistão criou um novo “grande jogo” entre as potências que buscam se ajustar às realidades geopolíticas regionais sempre em movimento. Para a Índia, que vem reforçando suas parcerias no Indo-Pacífico, especialmente com os Estados Unidos, o caso afegão continua desafiador, intensificando as disputas que pesam em suas relações com o Paquistão e a China


“A GUERRA DA COREIA E A GUERRA DA INDOCHINA SÃO A MESMA GUERRA”

As confissões norte-americanas do general De Lattre

Edição 173 | Mundo

Em 1951, o general Jean de Lattre de Tassigny foi aos Estados Unidos solicitar ajuda: a França estava em dificuldades no conflito contra a República Democrática do Vietnã, em um combate contra o comunismo. O escritor Éric Vuillard recupera esse episódio em um capítulo de seu último livro, Une sortie honorable, dedicado ao que os franceses chamam de Guerra da Indochina


UMA NOVA GERAÇÃO DE JIHADISTAS SURGE NO IRAQUE

Estado Islâmico volta a despertar

Edição 173 | Iraque

Aproveitando o vácuo de segurança que se estabeleceu nos territórios disputados pelo Estado central iraquiano e pelo Governo Regional do Curdistão, uma situação socioeconômica degradada e ressentimentos provocados pela onipotência das milícias xiitas, o Estado Islâmico renasce das cinzas e sua guerrilha cresce no centro do Iraque


CONCORRÊNCIA, DISPUTAS JUDICIAIS, POSSIBILIDADE DE FALÊNCIA...

Fim de jogo para o grupo Bolloré na África?

Edição 173 | África

Boatos não faltam sobre o fim das atividades africanas do grupo francês Bolloré nas áreas de transporte e logística. Enfrentando a concorrência internacional e amargando fracassos em matéria de investimento, a multinacional acumula também aborrecimentos judiciais, inclusive com o indiciamento de seu CEO num caso de corrupção no Togo


UM CASO DE RESISTÊNCIA

Nas raízes do racismo

Edição 173 | EUA

A Virgínia do século XVII oferece um bom ponto de partida para apresentarmos a história da raça como uma ideologia que nasceu num dado momento histórico, em razão de causas explicáveis. Os Estados Unidos estavam então para conhecer sua primeira expansão, que repousava antes nos ombros dos “servos sob contrato inglês” do que nos dos escravos africanos


MILHARES DE REFUGIADOS EXPULSOS POR WASHINGTON APÓS O ASSASSINATO DO PRESIDENTE MOÏSE

A batalha do Haiti ainda não terminou

Edição 173 | Haiti

Minado pela violência do crime organizado e frequentemente considerado “falido”, o Haiti não tem seu destino nas mãos, vítima do intervencionismo constante das instituições internacionais e das grandes potências. Farsas eleitorais, políticas públicas ineficientes e estagnação econômica empurram haitianos para o caminho do exílio


NOVA COALIZÃO GOVERNAMENTAL EM BERLIM

Uma chance inesperada para os sociais-democratas alemães

Edição 173 | Alemanha

Em setembro, o Partido Social-Democrata (SPD) venceu as eleições legislativas alemãs após anos de derrotas. Sua base e seu programa pendem para a esquerda, enquanto o candidato à chancelaria, Olaf Scholz, encarna a ala direita. Relegado até agora a segundo plano, esse significativo distanciamento resistirá ao teste da coalizão com os Verdes e os liberais?


EM LONDRES, “ESTÁ ABERTA A TEMPORADA DE CAÇA AOS GARÇONS”

Falta mão de obra no Reino Unido

Edição 173 | Reino Unido

A falta de mão de obra afeta o Reino Unido desde a primavera. Transporte, agricultura, indústria, restaurantes… Muitos setores foram atingidos, principalmente os que tinham o hábito de contar com uma força de trabalho europeia mal remunerada. Para o governo, são dificuldades passageiras no caminho de um Brexit que vai libertar a economia britânica


FRANÇA: QUEM, NA VERDADE, ESCOLHE OS CANDIDATOS?

Primárias determinadas por pesquisas eleitorais

Edição 173 | França

Os anúncios de candidaturas se multiplicam diante da aproximação da eleição presidencial de 2022 na França. Outrora apanágio dos partidos, o processo de seleção dos pretendentes vem sendo perturbado há quinze anos pela onipresença das pesquisas de intenção de voto, que muitos colocam no centro de sua estratégia. Em prejuízo da democracia?


OS ECOLOGISTAS NO PODER

Amornar a fervura

Edição 173 | Mundo

Diante do aumento dos perigos climáticos, os eleitores procuram cada vez mais os partidos que colocam essa questão no centro de seus programas. Contudo, quando eles chegam ao poder, as experiências passadas ou em curso, especialmente nas metrópoles, mostram que o exercício da responsabilidade pode mudá-los mais do que eles conseguem mudar o sistema


OS ECOLOGISTAS NO PODER

Diplomacia: dos programas “verdes” à realidade

Edição 173 | Mundo

Na Alemanha, o progresso eleitoral dos ecologistas e sua provável participação na próxima coalizão vão mudar a política externa do país? Na França, assim como no outro lado do Reno, exercícios de poder anteriores já colocaram em questão a primazia dada pelo programa desse grupo político à busca pela paz por meio da diplomacia


QUANDO O RECENSEAMENTO DA POPULAÇÃO CARCERÁRIA SE TORNA UM DESAFIO DEMOCRÁTICO

Magia da manipulação eleitoral nos Estados Unidos

Edição 173 | EUA

A derrota de seu candidato na disputa pelo governo da Virgínia, em 2 de novembro, instaurou entre os democratas o medo de um possível revés nas eleições parlamentares de 2022. Esse temor é aguçado pela redefinição das circunscrições eleitorais que acaba de ser feita favorecendo os republicanos, os quais podem vencer o escrutínio mesmo recebendo menos votos


ARTES

Alice Neel, na contracorrente

Edição 173 | Mundo

Fora de moda enquanto estava viva, Alice Neel está conhecendo um inédito sucesso póstumo. Suas pinturas agora são acolhidas em museus de prestígio. Entretanto, o interesse que ela desperta entre os organizadores de exposição está ligado a uma leitura extremamente redutora dos temas por ela abordados


RESENHAS

Miscelânea — Resenhas

Edição 173 | Brasil