Setembro 2012

Edição 62

R$ 24,00Leia mais

EDITORIAL

A ditadura dos bancos de investimento

Silvio Caccia Bava


PREVIDÊNCIA

Ameaça à Seguridade Social

Estima-se que as desonerações já concedidas em 2012 implicarão redução de R$ 7 bilhões da receita previdenciária. As consequências políticas são evidentes: em breve, as forças do mercado voltarão com o mantra apocalíptico de que, “sem uma nova reforma da Previdência, o país será ingovernável”Eduardo Fagnani


PREVIDÊNCIA

Tirar o pé do freio

É fundamental estimular o consumo e o investimento, mas mais importante é remover o potente conjunto de freios ao crescimento que o governo ainda mantém por medo da inflação. São eles: taxa Selic, juros bancários e carga tributária, cujos índices estão entre os mais altos do mundo e cuja liquidez é uma das mais baixasAmir Khair


DA ÍNDIA AOS ESTADOS UNIDOS

Obesidade, mal planetário

Segundo um preconceito generalizado e sustentado pela indústria agroalimentar, os obesos, incapazes de controlar seus desejos, seriam os responsáveis por sua condição. Esse discurso oculta um fenômeno em via de globalização. Puxar o fio da obesidade é descosturar o tecido do modo de vida das sociedades ditas avançadasBenoît Bréville


MUTAÇÕES DO ENSINO SUPERIOR

Por que o preço das universidades dispara em todo o mundo?

Na França, o custo das universidades subiu 50% em dez anos. Entre as causas do encarecimento, está o aumento da taxa de matrícula defendido por think tanks e organizações internacionais. Nos Estados Unidos, muitos estudantes jamais conseguirão quitar os empréstimos contratados para pagar sua formaçãoIsabelle Bruno


PREVIDÊNCIA

Os trabalhadores subsidiam a indústria

As metas do mercado nem sempre são as mesmas da sociedade. As regras que regem a administração de uma grande indústria – voltadas para a redução máxima das despesas e o aumento exponencial do lucro – não podem ser aplicadas na gestão da Seguridade Social. Aqui, muito mais do que valores, tratamos de vidasÁlvaro Sólon de França


PREVIDÊNCIA

Dilma e o desenvolvimento

O ponto estratégico a ser considerado é que, para dizer de modo direto e sintético, a experiência internacional e nacional revela que “alívios” fiscais e tributários não necessariamente estimulam de forma efetiva a ampliação dos investimentos privadosJosé Carlos Braga


ELEIÇÕES NOS ESTADOS UNIDOS

A tentação do pior

Obama já aceitou um plano de redução do déficit orçamentário cortando gastos sociais sem aumentar o nível – estranhamente baixo – dos impostosSerge Halimi


IMPASSE EUROPEU

Um homem providencial para a Itália

Num acesso de sinceridade, o primeiro-ministro italiano Mario Monti lamentou que “os governos se deixem constranger pela decisão de seus parlamentos” em detrimento da Europa. Depois de uma declaração como essa, como se surpreender com o sucesso eleitoral do comediante Beppe Grillo e seu Movimento 5 Estrelas?Raffaele Laudani


UMA CLASSE ALTA GLOBAL?

A elite dirigente dos negócios

Demissões em massa para uns, remunerações estratosféricas para outros: duplamente lucrativa para seus defensores, a globalização justifica ao mesmo tempo a concorrência que comprime os salários e os privilégios desfrutados por um jet-set apresentado como supranacionalMichael Hartmann


FRENESI PLANETÁRIO DE REUNIÕES

Excesso de cúpulas mundiais

Nos últimos anos, novas potências surgiram e se colocaram ao lado dos centros históricos de poder, tornando ainda mais difícil a gestão dos grandes temas internacionais: comércio, meio ambiente, equilíbrios estratégicos, etc. Do G20 às conferências sobre o clima, reuniões se multiplicam, mas sem grandes resultados…Jonas Gahr Store


JUSTIÇA

“Os poderes investigatórios do Ministério Público”

Os parlamentares que participaram da constituinte atuaram tendo em mente a democratização, a justiça social, a garantia de direitos fundamentais individuas e coletivos e o lançamento das bases indispensáveis para a implantação, em caráter definitivo, de um Estado Social e Democrático de DireitoMárcio Fernando Elias Rosa


A LEI "PEGOU"

Lei de Acesso à Informação Pública: um balanço inicial

Uma vez superada a infausta fase de aprovação da aludida lei, as preocupações agora devem se concentrar em sua plena aplicação. É chegado o difícil momento da afirmação de todo o conteúdo transformador da lei, contra o qual militam, aberta ou ocultamente, a improbidade e a ineficiência administrativasPedro Serrano|Rafael Valim


IMPASSE EUROPEU

Discussões a portas fechadas

De uma reunião de cúpula sobre a crise do euro a outra, o Conselho Europeu se instala nas manchetes dos noticiários. Porém, exceto pelo balé dos carros oficiais e a monotonia das conferências de imprensa, ignora-se quase tudo dos debates que agitam as salas onde se reúnem os 27 chefes de Estado e de governoChristophe Deloire e Christophe Dubois


PEQUIM: PODER SECRETO, POTÊNCIA MUNDIAL

Os mistérios do Partido Comunista Chinês

“Depois do 18º Congresso”… Qualquer solicitação de encontro com os dirigentes do Partido Comunista Chinês (PCC) suscita essa resposta. Mesmo os mais eloquentes escolhem a discrição, enquanto esperam o oráculo do congresso, em outubro. O que acontece no lado oeste da Cidade Proibida, atrás dos muros vermelhos?Martine Bulard


PEQUIM: PODER SECRETO, POTÊNCIA MUNDIAL

A China é imperialista?

Jamais as trocas comerciais entre a China e África, que subiram 89%, chegaram a tais níveis. Pequim inunda o continente com seus produtos. Em busca de recursos energéticos, o Império do Meio multiplica investimentos nos países do Sul, mas gostaria de não estabelecer relações coloniais com fornecedores de matéria-primaMichael Klare


CONFUSÃO E DESINFORMAÇÃO

Síria, campo de uma batalha midiática

Como reportar uma revolta que já dura dezoito meses, considerando que o acesso por terra é perigoso? Se não restam dúvidas quanto à brutalidade do regime, a maneira como certas mídias reproduzem os Comunicados dos grupos de oposição e ocultam o jogo de potências redunda mais em propaganda do que em informaçãoMarc de Miramon e Antoin Amado


ÁFRICA

Colapso do sonho democrático no Mali

Uma vez modelo de democracia africana, o Mali mergulha na instabilidade política enquanto a rebelião no norte corta o país em dois. Desde o golpe de Estado de 22 de março, o presidente da transição, Dioncounda Traoré, tenta reconciliar apoiadores e oposicionistas do putsch, uma crise que revela antigas fraturasJacques Delcroze


NA VENEZUELA, UMA ELEIÇÃO DECISIVA

Um chavismo sem Chávez é possível?

Economia profundamente reestruturada, apoio popular que o passar dos anos não erodiu, candidatos à sua sucessão… Uma derrota de Hugo Chávez – que não é prevista por nenhuma pesquisa – nas eleições de 7 de outubro ou sua morte conduziriam ao fim do processo político ao qual ele deu início?Steve Ellner


MUTAÇÕES DO ENSINO SUPERIOR

A dívida estudantil nos Estados Unidos

As taxas de ensino aumentam de duas a quatro vezes mais que a inflação. Globalmente, o custo do ensino superior dobrou em trinta anos. Longe de brecar essa tendência, a crise econômica funciona, ao contrário, como um aceleradorChristopher Newfield


MORADIA

Em defesa da habitação social nas áreas centrais

A localização privilegiada da moradia social no centro da metrópole traz benefícios para o trabalhador e sua família de diversos pontos de vista: facilidade de acesso aos postos de trabalho, aos serviços públicos e sociais, maior tempo para investir na família, em descanso, estudos e lazer, entre outrosFrancisco Comarú


CINEMA

Investigação sobre a Palma de Ouro

Em Cannes, quase 5 mil jornalistas e técnicos de mídia de 88 países cobrem cada manifestação, que apresenta, na competição oficial, cerca de duas dezenas de filmes. O impacto e os desafios financeiros do festival são consideráveis, o que nos incita a interrogar o sentido e as evoluções dos laureadosSerge Regourd