Novembro 2014

Edição 88

R$14,90Comprar

EDITORIAL

Lições de uma campanha

Silvio Caccia Bava


DO VOTO À COBRANÇA

Mais mudanças?

Sem confrontar minimamente o grande capital não haverá orçamento para as demandas de Junho. Sem isso, a nova classe trabalhadora pode se inclinar para o discurso de mercado da oposição. Mas, se mudar, o PT vai abalar os alicerces do pacto social rentista que o sustentou politicamente até aquiLincoln Secco


DO VOTO À COBRANÇA

As urnas não se calam

Dado que a presidenta pretende associar seu segundo mandato ao aprofundamento das reformas sociais, ela precisará incluir, como parceiros estratégicos do diálogo político, os partidos políticos que integraram a aliança democrática que com ela disputou as eleições: o PSDB, o PSB, o PPS, a Rede e o PVMarco Aurélio Nogueira


DO VOTO À COBRANÇA

O que está em jogo no segundo mandato de Dilma Rousseff?

Apenas a participação social, aliada às políticas sociais e ao financiamento público, pode dar continuidade a um processo de redução da desigualdade, que hoje, mais do que nunca, precisa estar associado a um aprofundamento da democracia no paísLeonardo Avritzer


ELEIÇÕES

O Congresso mais conservador desde a redemocratização

Com o novo Congresso, o grande desafio será impedir retrocessos, já que as chances de avanços ou de reformas – como a política e a tributária, com a instituição do imposto sobre grandes fortunas – são muito remotasAntônio Augusto de Queiroz


POLÍTICA NACIONAL DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL

A reação conservadora à democracia participativa

Apesar dos argumentos contrários, o decreto que instituiu a Política Nacional de Participação Social possui sólido embasamento na Constituição, que estabelece que o “poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente”Regina Lúcia Alves de Lima e Pedro Pontual


DEFESA DO EMBARGO PERDE FORÇA NOS EUA

EUA-Cuba, degelo sob os trópicos?

A União Europeia decidiu rever sua “posição comum” que, desde 1996, prevê o congelamento das relações com Cuba. Um movimento similar parece se desenhar do outro lado do Atlântico. Em 11 de outubro, editorial do New York Times intimava Washington a suspender o embargo imposto à ilha desde… 1962!Patrick Howlett-Martin


LITERATURA E POLÍTICA NA AMÉRICA LATINA

Quando os presidentes eram poetas

Ainda que raramente deixe de apelar às armas, o poder econômico repousa, em geral, sobre formas mais sutis de legitimação. Entre elas, a produção literária, como na América Latina do século XIXEricka Beckman


MÉXICO

Você sabia que na América Latina…

Discretos sobre o sucesso dos governos latino-americanos de esquerda, os grandes meios de comunicação o são igualmente quanto… aos fracassos dos poderes conservadores… Aí incluídos os assuntos de segurança. Em setembro, 43 estudantes foram assassinados quando protestavam contra reformas liberais na educaçãoSerge Halimi


O REVÉS DA IRMANDADE MUÇULMANA

Um novo agente toma o poder no Iêmen

A tomada de Sanaa pela rebelião houthi em 21 de setembro de 2014 pôs fim à dominação da Irmandade Muçulmana, no poder desde o levante de 2011. A queda repentina da capital do Iêmen diante de um movimento xiita, sem grande resistência do Exército, representa para muitos uma surpresa e provoca leituras fantasiosasLaurent Bonnefoy


POLÍCIA POLÍTICA

O Estado brasileiro contra os movimentos sociais

Junho deu visibilidade a uma série de movimentos de multidões. Ações diretas organizadas por grupos autogestionários, horizontais e desvinculados de projetos partidários pegaram os aparatos repressivos de surpresa. Em resposta, o Estado apresentou suas formas de repressão e criminalizaçãoEspecial para o Diplô Brasil


HERÓIS DO CARNAVAL

Eu, bate-bola (máscaras, desordem, festa, aventura e amizade)

. Os meninos ao redor, todos também mascarados e trajando seus mantos, cantam trechos curtos e repetitivos de algum funk afiado e ingênuo, enquanto ao longe explodem fogos de outra “turma” de mascarados pronta para sair às ruasFelipe Bragança


AS RAMIFICAÇÕES DO CASO EDWARD SNOWDEN

Geopolítica da espionagem

Com a revelação da máquina de vigilância utilizada pelo serviço de inteligência norte-americano, o caso Snowden mostrou o pouco respeito da administração Obama pela privacidade. Seu alcance, porém, é ainda maior: revela a estrutura das relações de poder em escala global e as mutações do capitalismo digitalDan Schiller


BUROCRACIA DE BRUXELAS E SEPARATISMO SE RETROALIMENTAM

Estados em migalhas na Europa das regiões

Em 9 de novembro, a Catalunha realiza referendo consultivo sobre seu futuro. Paradoxalmente, o desejo de independência que avança em regiões ricas da Europa pode fortalecer a máquina supranacional da União Europeia, uma vez que, defendendo identidades cada vez mais singulares opostas a solidariedadePaul Dirkx


ASCENSÃO DO NACIONALISMO NO REINO UNIDO

Indignação social, voto à direita

Enquanto na Escócia o referendo sobre a independência em relação ao Reino Unido (rejeitada no dia 18 de setembro) cristalizou a desaprovação à política de austeridade imposta por Londres, ao sul o mesmo sentimento de rejeição infla as velas do partido antieuropeu de direita de Nigel Farage, UKIPOwen Jones


TRANSFORMAÇÕES ADMINISTRATIVAS NA COMPANHIA DE TRANSPORTES DE PARIS

Em nome da “modernização”, intensificação sacrifica a qualidade

Obsessão pela rentabilidade, concorrência entre assalariados, racionalização da atividade: o setor público também conhece as dinâmicas de intensificação do trabalho que afetam as empresas privadas. Na companhia de transportes parisiense, as lógicas de gestão se impõem tão facilmente que avançam de mãos dadasMartin Thibault


UMA METRÓPOLE AFRICANA EM MUTAÇÃO

Em Dacar, restaurantes chiques e favelas

Engarrafamentos sem fim, imóveis vertiginosos crescendo com força total, especulação imobiliária… Dacar se transforma em grande velocidade. A capital do Senegal, que deve acolher a Cúpula da Francofonia no final de novembro, torna-se uma metrópole, com suas tradicionais zonas abandonadas e sombriasSabine Cessou


ENTRE A TURQUIA E O IRAQUE

Os curdos, quantas divisões?

Apesar de suas reivindicações jamais terem sido reconhecidas, as populações curdas do Iraque e da Síria se veem impelidas à primeira linha do combate contra o Estado Islâmico. Elas recebem um unânime apoio de fachada que mal esconde as disputas de influência dos ocidentais, dos turcos e dos iranianos, que sempre combatAllan Kaval