As mentiras do Google e da Microsoft

Por anos as autoridades norte-americanas atacaram os Estados – China e Irã em primeiro lugar – que impõem a seus cidadãos restrições de acesso e uso da internet. As revelações de Edward Snowden sobre a extensão do sistema de vigilância das telecomunicações globais estabelecido por Washington só reforçam as dúvidas que já pesavam sobre a …

por em

“Perdemos Detroit”

(Fachada do prédio da Packard Motor Car Company, que encerrou sua produção ainda na década de 1950) Depois da fusão parcial de uma usina nuclear em Michigan, em 1966, o grande poeta do soul e do jazz norte-americano Gil Scott-Heron dedicou um poema à cidade vizinha ameaçada pela catástrofe: “Quase perdemos Detroit”. Parecia inconcebível a …

por em

O subprime dos pobres?

As microfinanças – concessão de empréstimos e oferta de produtos de poupança ou seguro – permitem aos menos favorecidos empreender a fim de sair da pobreza. A juros enormes (30% ao ano ou mais),1 indivíduos ou grupos sem fiador obteriam meios para desenvolver uma atividade artesanal ou comercial que poderia lhes abrir portas. A vendedora …

por em

Leiloar o maior campo já descoberto do mundo é inaceitável

Com as bênçãos do governo e do Poder Legislativo, um crime contra a soberania nacional está em andamento e já tem data marcada. O Campo de Libra, situado na província brasileira do pré-sal, na Bacia de Santos, que é a maior descoberta de petróleo convencional do século XXI, irá a leilão no dia 21 de …

por em

O fantasma da proletarização atemoriza os médicos

O que ocorre na medicina não é diferente do que ocorre no resto da economia capitalista. A luta entre patrão e empregado, a tal luta de classes, faz que o trabalho direto seja substituído pelas máquinas. E esse processo não é indolor. Os equipamentos médicos, em geral produzidos por empresas monopolistas, estão cada vez mais …

por em

A crise econômica cipriota, uma oportunidade para a paz?

Alcançada pela crise financeira mundial, a República do Chipre suporta as drásticas medidas de austeridade que lhe ditam seus credores europeus. Mas, sob outro aspecto, o período atual poderia ainda assim representar uma sorte inesperada. Nesta manhã, como toda segunda-feira já faz quase três meses, Georgio Kyriades dirige-se ao centro da Cruz Vermelha, no subúrbio …

por em

A Catalunha rumo à independência

O público está animado pelo sentimento ao mesmo tempo frenético e contido que se experimenta em um período de incerteza, no qual tudo está em jogo. Nesta antiga adega do bairro de Ciutat Vella, em Barcelona, uma centena de anônimos ouve atentamente Quim Torra, advogado, ensaísta e defensor da soberania catalã. Ele narra o fim …

por em

Sigilo fiscal?

Quem ficou sabendo que o governo federal abriu mão de cobrar R$ 1 trilhão de impostos lançados na dívida ativa da União, devidos principalmente por grandes empresas, públicas e privadas? Segundo dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), a provisão, em 2013, para perdas lançada na dívida ativa da União é de R$ 966.413.275.095,20, …

por em

Para obrigar os Estados a cumprir sua palavra

A Primavera Árabe, que alguns enterraram meio rápido demais, certamente não terminou de render seus frutos. Um dos mais surpreendentes e inesperados, dada a conjuntura, é o projeto de um tribunal constitucional internacional. A ideia nasceu do desgosto de Moncef Marzouki, atual presidente da República da Tunísia (até que instituições estáveis sejam estabelecidas no país …

por em

Da credibilidade dos papagaios

Qualquer um pode dizer e escrever qualquer coisa. Em particular sobre os Estados Unidos. Em menos de seis meses, esse país acaba de passar do status de fênix que recuperou as plumas (retomada econômica, ressurreição da indústria automobilística) para o de império decadente, diminuído pelo comportamento sem força de vontade de seu presidente.1 Agora, dissertar …

por em

Os anseios e sonhos de nossa (ainda) adolescente cooperação internacional

A adolescência traz muitas ansiedades, mas também muitos sonhos. É um momento crucial para alicerçar nossas escolhas de vida e por isso de grande reflexão, experimentos, ousadia e aprendizado. A cooperação internacional brasileira passa por esse belo momento em que esforços de autoconhecimento vão pouco a pouco revelando com mais clareza suas características e vicissitudes. …

por em

Rumo a uma agenda de participação cidadã no Chile?

(Manifestantes deitam no chão em memória dos desaparecidos políticos da ditadura chilena: golpe completou 40 anos em 11 de setembro) Há pouco mais de 23 anos, em 1990, Mike Davis escreveu o livro A cidade de quartzo, em que descrevia detalhadamente as armadilhas que deram origem à modernização neoliberal da cidade de Los Angeles. Era …

por em

A que assistem os telespectadores chineses

(Feicheng wurao: espécie de “Namoro na TV” em que as candidatas apagam s luz e se retiram quando o pretende decepciona) Nenhum jornal foi notado no ônibus articulado 639, que toda manhã percorre o novo centro financeiro de Jianwai Soho. Isso porque os passageiros só têm olhos para seus smartphones, nos quais se desenrola o …

por em

Odebrecht, uma transnacional alimentada pelo Estado

Você conhece alguma transnacional brasileira?”, perguntava em 2000 a The Economist. “Difícil, não? Mais do que lembrar o nome de um belga famoso.”1 Estaria a revista britânica querendo fazer graça ou não suspeitava de que os grandes grupos brasileiros entrariam de maneira rápida e espetacular na dança do grande capital? Como a Odebrecht, que é …

por em

Muitas línguas para um outro mundo

Democracia participativa, gestão responsável dos recursos e dejetos, comércio sustentável, software livre… − um fórum social deve refletir em sua própria organizaçãoas mudanças que conclama com seus desejos. Ele deve em particular garantir o direito dos participantes de se comunicar na língua de sua escolha, pois, nessa área, não escapamos aos mecanismos de dominação. Depois …

por em

A Cadeira Vazia e a inovação democrática no Equador

Cadeira Vazia (Silla Vazia – SV) surge como um mecanismo de participação sui generisestipulado pela nova Constituição do Equador. É um dispositivo que oferece aos cidadãos um assento nas reuniões dos governos locais, para que possam tomar parte no processo de decisão envolvendo questões de interesse comum. Embora a Constituição seja rica em organismos executores …

por em

A visita de Francisco e a abertura do compasso

(Papa circula pelo centro do Rio do Janeiro: Francisco demonstrou uma sintonia fina com o etos católico brasileiro) A visita do papa Francisco ao Brasil no mês de julho foi um evento midiático não apenas por estar associado à Jornada Mundial da Juventude, mas também pelo conteúdo de seu discurso e pelas sinalizações de sua …

por em

Protestos e participação cidadã na Colômbia

Recentes protestos na Colômbia mostram duas tendências, ambas ligadas ao modelo econômico neoliberal: a oposição ao neoextrativismo e a defesa da economia camponesa. Por neoextrativismo entendemos a atividade mineroenergética, os agrocombustíveis e as megaobras como represas e vias de transporte. Diversos atores se opõem a ele em uma convergência de sindicalistas, pequenos mineradores, indígenas e …

por em

Possuir ou partilhar

Na casa de cada um de nós existem ao mesmo tempo um problema ecológico e um potencial econômico. Temos em nosso lar muitos bens que não utilizamos: a furadeira que dorme dentro de um armário e só será útil, em média, por treze minutos em sua vida, os DVDs que foram vistos uma ou duas …

por em

A visão dupla dos Estados Unidos

Desde o início da guerra civil na Síria, o presidente Barack Obama afirmou que preferia evitar a intervenção direta. Segundo ele, os Estados Unidos já travaram guerras suficientes no Oriente Médio e o conflito não ameaça seus interesses fundamentais. Por que então ele teria dado uma reviravolta, ameaçando ataques militares dirigidos contra o regime sírio, …

por em

As relações entre Irã e Síria à prova da mudança em Teerã

Exilado em Nadjaf, no Iraque, desde 1964, o aiatolá Ruhollah Khomeini decidiu em 1978 deixar o país para escapar às pressões do poder baassista de Saddam Hussein. Alguns de seus próximos o aconselharam na época a escolher a Síria, também dirigida pelo partido Baas, mas por uma ramificação resolutamente hostil a Saddam Hussein. Escaldado por …

por em

Uma preocupante mudança de atitude nas relações internacionais

O veto que Moscou, por três vezes, opôs às resoluções da ONU que ameaçavam impor sanções a Damasco repousa “sobre uma concepção insuportável da legalidade internacional”, estimou um diplomata à margem da XXI Conferência Anual dos Embaixadores da França, no Palácio do Eliseu, em 28 de agosto de 2013.1 Cada vez mais frequente nos debates …

por em