Novembro 2018

Edição 136

R$14,90Comprar

COREIAS

Mudança favorável na Ásia

Edição 136 | Coreia do Norte

O desarmamento nuclear da Coreia não deve se tornar um pré-requisito para a realização de outros aspectos da negociação: suspensão de manobras militares de ambos os lados, levantamento de sanções econômicas, tratado de paz.


EDITORIAL

Somos muitos, podemos ser fortes

Edição 136 | Brasil

As manifestações em defesa da democracia e da Constituição, as mobilizações de rua, a discussão com o povo sobre o impacto das políticas que serão implementadas e a disputa das narrativas nas mídias sociais são o caminho para organizar a resistência democrática


AS RAZÕES DA GUINADA

Os brasileiros são todos fascistas?

Edição 136 | Brasil

As eleições de outubro de 2018 no Brasil foram marcadas pelo avanço de Jair Bolsonaro e sua formação de extrema direita, o Partido Social Liberal (PSL). Misógino, homofóbico, racista e cercado por defensores de um retorno ao poder dos militares, Bolsonaro encarna uma corrente política que permanecia discreta na América Latina desde o fim das ditaduras


ALÉM DA REAÇÃO

Um olhar sobre a instável hegemonia da direita radical

Edição 136 | Brasil

A grande guinada capaz de distinguir a direita radical foi a transplantação de seus embates ante a esquerda para o terreno da moral. Por meio de uma hipermoralização da realidade, que reduz todas as disputas a um confronto entre bem e mal absolutos, constrói-se um discurso no qual o universo da esquerda deve ser necessariamente erradicado


BRASIL, 2018

Um novo tempo. Mas… qual?

Edição 136 | Brasil

O tom da coisa é este: o Brasil está desgovernado, destruído por gente mal-intencionada, corrupta, acomodada. O sistema. Daí, a conclusão parece impositiva: precisamos de alguém para botar o país nos trilhos. O recurso retórico é incisivo: retrata o desespero e oferta a salvação. Amém


PÓS-2018

A perfeitamente resistível ascensão de Jair e Hamilton

Edição 136 | Brasil

Diversamente de 1964/1968, o Brasil não encara uma conjuntura de crescimento interno e internacional, mas uma crise econômica estrutural e uma desaceleração internacional na véspera de uma nova recessão. O programa econômico do governo militarizado a ser empossado em 2019 é o de um neoliberalismo privatista rampante, eivado de contradições


ELEIÇÕES 2018

O Congresso mais conservador dos últimos quarenta anos

Edição 136 | Brasil

Em que pese reconhecer que o novo Congresso foi o mais renovado em duas décadas e que terá mais jovens, mulheres, negros, mais parlamentares conectados às redes sociais, mais estreantes ou deputados e senadores em primeiro mandato e será mais instruído que os anteriores, pode-se afirmar com segurança que será o mais conservador dos últimos quarenta anos


LIÇÕES DE PINOCHET

Brasil, novo laboratório da extrema direita

Edição 136 | Brasil

O modelo neoliberal colocado em prática no Chile após o golpe militar de 1973 nos dá um panorama do que pode ocorrer no Brasil em um futuro governo de Jair Bolsonaro. E isso não é casual


RECUOS PREOCUPANTES E PROGRESSOS NOTÁVEIS NA RENEGOCIAÇÃO DO NAFTA

As primeiras fissuras na fortaleza do livre-comércio

Edição 136 | Brasil

Esta era uma das grandes promessas de Donald Trump: se eleito, ele partiria em pedaços o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta) e o substituiria por um novo tratado. Divulgado em setembro, o texto renegociado tem recuos preocupantes, mas também muitos avanços sociais. É, assim, um primeiro golpe na ordem comercial internacional


A ASSINATURA DE UM NOVO DO ACORDO

Estados Unidos, México e Canadá: uma renegociação desconcertante

Edição 136 | EUA

A renegociação do Nafta trouxe alívio para os quatro dirigentes envolvidos. Trump precisava de uma vitória antes das eleições de meio de mandato. Trudeau queria impedir que o processo se fragmentasse em conversas bilaterais. Peña Nieto sonhava com uma vitória antes de deixar o cargo. E, para Obrador, o acordo significa que não terá de enfrentar a inquietação dos mercados


A ESTRATÉGIA DE MADURO VISTA POR UM EX-CONSELHEIRO DE CHÁVEZ

A Venezuela precisa sair do impasse

Edição 136 | Venezuela

Após ter representado uma luz na grande noite neoliberal dos anos 2000, a Venezuela atravessa uma grave crise. Mais de 2 milhões de pessoas já deixaram o país, em uma população total de 31 milhões. Inicialmente internas, as convulsões assumiram dimensão internacional após a imposição de sanções pelos Estados Unidos. Estas complicam a busca de soluções para as dificuldades do país


CONTAGEM REGRESSIVA NO REINO UNIDO

Brexit expõe as fraturas do Partido Conservador britânico

Edição 136 | Reino Unido

Tempestade internacional, o Brexit pode ser explicado em parte pelas disputas internas do Partido Conservador: das motivações do ex-primeiro-ministro David Cameron ao organizar o referendo às estratégias de negociação de sua sucessora Theresa May. E a discórdia entre os tories, que gostam de se apresentar como “o partido natural do governo”, aumenta cada vez mais


AS CONTRADIÇÕES DE UMA IMPROVÁVEL ALIANÇA GOVERNAMENTAL

Na Itália, uma rebelião antieuropeia?

Edição 136 | Itália

A Itália tirou da Grécia o posto de mau aluno da União Europeia. Ao elevar a importância das despesas sociais, sua lei orçamentária para 2019 infringe o dogma da austeridade. A Comissão Europeia ameaça com sanções e critica o populismo. Tal interpretação, cômoda para desqualificar qualquer desobediência, não permite captar as orientações do novo governo


O MITO DA CORRIDA EM DIREÇÃO À EUROPA

Imigração, um debate enviesado

Edição 136 | Europa

Na Europa, a população mantém-se estagnada e envelhece; do outro lado do Mediterrâneo, ela cresce e rejuvenesce. Com base nessa constatação, muitos concluem que a explosão dos fluxos migratórios é inevitável, impondo duas opções: fechar ou abrir as fronteiras. Entretanto, não seria essa uma análise exageradamente fatalista?


JOVENS ENGANADAS

A rede de prostituição nigeriana na França

Edição 136 | França

Na França, a importância das redes de prostituição nigerianas ultrapassa cada vez mais as cadeias chinesas ou do Leste Europeu. Presentes em toda a Europa, essas jovens são frequentemente atraídas por compatriotas mais velhas, que as fazem vislumbrar uma vida melhor


UMA NOVA VERSÃO DA RENDA MÍNIMA

Elogio da gratuidade

Edição 136 | Mundo

Renda universal ou gratuidade, eis o dilema: vale mais dar dinheiro aos cidadãos ou fornecer-lhes serviços gratuitos? Propor remunerar os pais pela educação dos filhos, os estudantes por suas lições ou os camponeses pelos serviços que prestam ao meio ambiente não provocaria, ao fim, o aprofundamento da lógica da mercantilização?


DIRETORES DA FRANCE TÉLÉCOM DIANTE DA JUSTIÇA

Quando a gestão corporativa se torna letal

Edição 136 | Mundo

Estranho paradoxo o do assalariado. O contrato de trabalho constituiria uma precondição para a emancipação, garantindo os meios de subsistência. Para muitos, viver é bater cartão. Contudo, frequentemente entrar no mundo corporativo significa ser escravizado pelas obrigações ligadas à obsessão por rentabilidade. Em outros termos, um entrave à vida


ENTREVISTA CLÁUDIO ASSIS

“A sociedade brasileira vive um fracasso medonho”

Edição 136 | Brasil

Em entrevista ao Le Monde Diplomatique Brasil, cineasta pernambucano analisa polarização no país e fala sobre seu próximo filme, Piedade, que será lançado em 2019


Miscelânea