Miscelânea

EU, OTA, RIO DE HIROSHIMA Jean-Paul Alègre, Temporal Editora   Os ataques nucleares a Hiroshima e a Nagasaki, acontecimentos únicos até hoje na história, já foram registrados e contados tantas vezes e, ainda assim, não parecem existir narrativas ou retratos suficientes que deem conta de sua violência. Jean-Paul Alègre, dramaturgo francês publicado pela primeira vez …

por em

A geopolítica de acordo com James Bond

Ícone pop e glamour da cultura moderna, o personagem de James Bond foi criado por Ian Fleming em 1953, em Goldeneye, sua residência jamaicana. Jornalista da agência de notícias Reuters, posteriormente agente de câmbio de um banco de investimentos, Fleming nasceu em 1908 e foi recrutado pelo serviço de inteligência britânico durante a Segunda Guerra …

por em

Da loja à revista

A história da sociedade de consumo pode ser compreendida como a da multiplicação das imagens de mercadorias. Desenvolvendo-se sem parar desde o século XIX, a imagética de massa aniquilou a autossuficiência psicológica das anteriores. Ela permitiu à mercadoria conquistar os imaginários por meio de sua presença virtual cotidiana. Jornais, catálogos, revistas, litografias, cinema: as novas …

por em

Um intelectual antifascista

Na noite do dia 26 de setembro de 1940, Walter Benjamin fez seu derradeiro gesto político e intelectual: sob ameaça da perseguição nazista, da qual buscava escapar, o filósofo ingeriu uma dose fatal de morfina, em Port-Bou (Catalunha). Para Benjamin, num momento em que o beco parecia sem saída, o suicídio apresentou-se como o último …

por em

O que significa tratar os animais com humanidade?

“No dia 1º de agosto de 1914”, escreve o satírico vienense Karl Kraus em sua revista Die Fackel [A Tocha], “ouvi um grito: ‘Sempre em frente, rumo à glória, marchamos!’. Eu me envergonhava da minha rabugice, pois já naquele momento sabia de maneira muito precisa que chegaria o tempo do: ‘Precisamos sair dessa!’. Mas eu …

por em

O Líbano, há dois séculos em busca de uma nação

Desde o século XIX, o Líbano segue enfrentando o intervencionismo de grandes potências, que lhe conferem o trágico estatuto de “espaço-tampão”, em vez da soberania formal. Em 1833, o país foi ocupado pelas tropas de Ibrahim Pasha, filho do poderoso Mohammed Ali (ou Mehmet Ali), vice-rei do Egito, adversário declarado do sultão otomano, após ter …

por em

Por uma aposentadoria realmente universal

Na ampla mobilização do início de 2020 contra o projeto de reforma da Previdência na França, as reivindicações se pautaram majoritariamente no sistema existente. Visando à manutenção do nível de vida dos aposentados, a demanda era de que o valor das pensões fosse melhor ou ao menos igual que último salário recebido. Dessa forma, valida-se …

por em

A batalha geopolítica do 5G

Em 1994, quando a Huawei não passava de uma pequena vendedora de comutadores telefônicos, seu fundador, Ren Zhengfei, foi conversar com o então presidente chinês, Jiang Zemin. O ex-engenheiro do Exército convertido para o setor dos produtos eletrônicos de massa lançou então a carta patriótica: “As telecomunicações são uma questão de segurança nacional. Para uma …

por em

O homem pré-histórico também era uma mulher

Nenhum argumento arqueológico reforça a hipótese de que no Paleolítico as mulheres tinham um status social inferior ao dos homens. Baseados na abundância de representações femininas, arqueólogos sugerem até mesmo que, estando no centro das crenças, elas tinham uma posição elevada nessas sociedades.1 Outros pesquisadores sustentam que, nesses tempos remotos, as sociedades eram matrilineares, ou …

por em

Geopolítica dos protestos bielorrussos

“É uma revolução democrática, não geopolítica.” Ao pronunciar tais palavras durante uma videoconferência com os eurodeputados em 25 de agosto, Svetlana Tikhanovskaya, que reivindica a vitória na última eleição presidencial bielorrussa contra o presidente Alexander Lukashenko – oficialmente reeleito com 80% dos votos –, pretendia mandar um recado tanto a Bruxelas como a Moscou. Para …

por em

Na Bielorrússia, a juventude urbana na linha de frente

Meados de agosto de 2020. Na televisão, as imagens das manifestações se repetem. “Isso vai acabar logo”, lança Stas L., sem nem mesmo olhar para a tela. De costas para as notícias, sentado em um bar em Braguin, no sul da Bielorrússia, ele e seus amigos, todos na casa dos 30 anos, conversam enquanto tomam …

por em

Uma geração emergente de cientistas sociais e produtores culturais

As periferias de São Paulo têm passado por processos de transformação intensa, sobretudo a partir dos anos 1990. Esses processos mudaram sua paisagem urbana e aspectos significativos da vida de seus moradores, e as transformaram em espaços muito mais heterogêneos do que foram no passado. A pesquisa “Periferias de São Paulo: heterogeneidade e novas formas …

por em

Os Estados Unidos tomados pela loucura

Durante este ano terrível, foi possível curtir um maravilhoso verão. Voltar, por exemplo, para casa na pacata Kansas City, em um bairro onde proliferam os gramados verdes bem aparados e os casarões que se poderia jurar terem sido construídos por barões. Passar tranquilamente o mês de agosto lendo romances, fazendo bricolagem, assistindo a filmes antigos, …

por em

Bolívia, crônica de um fiasco midiático

A grande mídia não gosta de mea culpa. Em 7 de junho, o New York Times causou então surpresa ao publicar um artigo autocrítico que associa implicitamente a imprensa à instauração, em novembro de 2019, de uma ditadura na Bolívia… Relembrando os fatos. Em 20 de outubro, noite da eleição presidencial boliviana, as contagens preliminares …

por em

A desigualdade no Brasil é um projeto

Desigual, esse é o retrato do Brasil, que há 520 anos cultiva um sistema de penalização das classes mais pobres. A crise causada pela pandemia do novo coronavírus escancarou a realidade que muitos tentam abafar há anos. Os mais necessitados são os que carregam o país nas costas, a custos altíssimos e sem apoio do …

por em

Quem tem medo da sociedade civil?

Em 10 de dezembro de 1948, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a Declaração Universal dos Direitos Humanos. No plenário da ONU apareceram os grandes personagens que ajudaram a produzir esse documento, como Eleanor Roosevelt, Rene Cassin e outros. Entretanto, quando se recorre aos arquivos de memória desse período, às atas das reuniões, às …

por em

Democracia e degradação institucional

Em 2016, alguns meses antes do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, abri meu novo livro, intitulado Impasses da democracia no Brasil, com as seguintes palavras: “O Brasil se encontra hoje no rol das nações com democracias fortes e consolidadas. Por qualquer medida significativa proposta por teorias que medem o estado da arte da democracia, o …

por em

Gênero sob ataque e a erosão da democracia

As agendas da igualdade de gênero e da diversidade sexual estão sob ataque, em reações de caráter transnacional aos direitos de mulheres e da população LGBTQ. Ao mesmo tempo, processos de desdemocratização têm sido diagnosticados em diferentes partes do mundo, em análises que apontam para o esgarçamento de instituições, práticas e valores democráticos. Mas qual …

por em

O Brasil está queimando

Com a conivência do governo federal, o Brasil está queimando. Por meio do desmonte dos órgãos de fiscalização e controle ambientais federais – Ibama e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) –, somado à conivência do Ministério do Meio Ambiente, da Polícia Federal e do Ministério da Justiça, além do controle sobre o …

por em

Falsas independências

Casa Branca, sexta-feira, 4 de setembro de 2020. A cena dura menos de um minuto.1 Donald Trump está sentado em sua cadeira majestosa atrás de uma enorme escrivaninha, coberta de ornamentos dourados e de telefones, ladeada por duas pequenas mesas vazias que poderiam ser confundidas com extensões da peça principal. Atrás de uma dessas, o …

por em