Julho 2021

Edição 168

R$ 18,00Comprar

ELEIÇÕES 2022

Calmaria na França?

Edição 168 | França

Os próximos dez meses da vida política francesa serão marcados por uma avalanche de notícias alarmantes, que provocarão pânico na segurança1 e injunções dramáticas para “conter” uma extrema direita impulsionada por esse clima de medo?


EDITORIAL

A hora e a vez dos deputados federais

Edição 168 | Brasil

O governo Bolsonaro vive seu momento de maior fragilidade, e estão na mesa alternativas como o impeachment e a renúncia


CAPA

O Brasil no redemoinho: o governo Bolsonaro e o butim da burguesia

Edição 168 | Brasil

O novo padrão de acumulação brasileiro tem reforçado o poder econômico e político dos segmentos primários, intensivos em commodities, e bancário-financeiro, abrindo espaços para a intensificação da exploração dos recursos naturais e da força de trabalho


ENTRE CONTINUIDADES E RECONFIGURAÇÕES NO OESTE DO PARÁ

Reprimarização, corredores logísticos e dinâmicas da soja

Edição 168 | Brasil

O modelo de inserção internacional do Brasil cria vulnerabilidades e compromete o desenvolvimento. Ele promove desindustrialização, desemprego, acentuação das desigualdades e degradação ambiental. A exportação de commodities altera a distribuição espacial das atividades extrativas, reforça corredores exportadores e expande as fronteiras extrativas


UMA RECONQUISTA DAS GRANDES CIDADES

A esquerda, uma ideia nova nos Bálcãs

Edição 168 | Iugoslávia

Desde o fim da Iugoslávia, o debate político nos Bálcãs foi reduzido a um confronto entre nacionalistas e liberais. Atualmente, uma nova esquerda anticapitalista emerge em defesa dos bens comuns e contra as crescentes desigualdades. A coalizão da esquerda verde acaba de ganhar a prefeitura de Zagreb, enquanto uma esquerda soberanista governa o Kosovo


QUANDO A INFRAESTRUTURA DAS REDES VOLTA A SER GEOPOLÍTICA

Cabos submarinos, uma questão de Estado

Edição 168 | Mundo

O sonho libertário de uma internet regulamentada apenas por empresas privadas está desaparecendo. Por muito tempo impotentes diante de um fenômeno que não entendiam, os Estados estão reconquistando o front na cena digital e têm um peso cada vez maior na arquitetura física da internet – uma questão de soberania e poder no século XXI, como eram os cabos telegráficos no século XIX


100 ANOS DO PARTIDO DE MAO TSÉ-TUNG

O que a China ainda tem de comunista?

Edição 168 | China

Antes odiados, os capitalistas agora são acolhidos de braços abertos nas fileiras do Partido Comunista Chinês – com a condição de que respeitem algumas condições e jurem fidelidade a uma organização que, cada vez mais, recebe mais trabalhadores de colarinho-branco do que operários


ORGANIZAÇÃO TEM 92 MILHÕES DE MEMBROS

Um partido para a renovação nacional

Edição 168 | China

Um mundo separa o Partido Comunista Chinês criado por um punhado de militantes em de 1921 – antes de ser liderado por Mao Tsé-tung, em 1934 – e a organização de Xi Jinping, cujo número de membros ultrapassa a população da Alemanha. Desde o início, o PCC exibe uma flexibilidade extraordinária enquanto mantém um objetivo constante: recuperar a grandeza da China


UM ACORDO QUE FRAGILIZA OS LAÇOS ENTRE BELFAST E LONDRES

O Brexit vai unir as duas Irlandas?

Edição 168 | Irlanda

Revoltas explodiram na Irlanda do Norte na primavera de 2021, especialmente nos bairros pró-Reino Unido, fiéis a Londres. Depois do plebiscito a favor do Brexit, em 2016, a nação norte-irlandesa negocia com Bruxelas, com um grande vencedor: o campo favorável à reunificação das Irlandas, cujas esperanças foram reanimadas pela falta de escrúpulos de Boris Johnson


NACIONALISTAS IRLANDESES

Ronda com os nacionalistas irlandeses

Edição 168 | Irlanda

FEBRE HUMANISTA NOS CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO

Empresas socialmente responsáveis?

Edição 168 | Mundo

De tempos em tempos, a ideia volta: fantasiar o lobo para que ele se comporte como um cão pastor. Apesar dos fracassos sistemáticos, a esperança renasce, a cada vez acompanhada de novos métodos, mais eficazes. É o caso da proposta de criar empresas responsáveis, que apaziguariam os antagonismos nos locais de trabalho


DIREITA NEOFASCISTA VERSUS DIREITA TRADICIONAL

As frações burguesas e o governo Bolsonaro

Edição 168 | Brasil

A conjuntura pandêmica é marcada pela polarização entre a direita neofascista, ou bolsonarista, e a oposição de direita, ou direita tradicional. A análise de documentos e declarações de capitalistas e associações empresariais na imprensa indica que esse conflito exprime uma divisão das frações burguesas em torno da política sanitária. Por outro lado, também indica sua unidade em torno da política econômica, o que explica o caráter vacilante da direita tradicional e os limites de sua ação oposicionista ao governo


POR QUE O IMPOSTO UNIVERSAL SOBRE PESSOA JURÍDICA É UM AVANÇO

E as transnacionais enfim vão pagar, mas só um pouco…

Edição 168 | EUA

Muito tímida! Muito dependente da boa vontade de Washington! Muito fácil de ser revertida por uma nova administração! Não faltam motivos para diminuir o imposto universal sobre empresas privadas defendido por Joe Biden. Apesar de suas falhas, contudo, a medida opera uma inversão política fundamental: ela tira das corporações a ideia de que pairavam acima da lei


DEZ ANOS DE GUERRA CIVIL

Por que o regime sírio sobreviveu

Edição 168 | Síria

Em dez anos, o conflito que devastou a Síria deixou 500 mil mortos e 12 milhões de deslocados. Dado como derrotado em 2011, o presidente Bashar al-Assad foi salvo pelas intervenções militares da Rússia, do Irã e do Hezbollah. Sua sobrevivência deve-se também à solidariedade no seio de sua comunidade, os alauítas, e ao controle absoluto exercido por sua família no país


CENSURA E REPRESSÃO NO MAGREB

Informar tem seus perigos

Edição 168 | Magreb

Alvo das autoridades argelinas e marroquinas, que instrumentalizam a justiça para amordaçá-los, os jornalistas estão na linha de frente da luta pela democratização de seus países. No Marrocos, dois processos ilustram esse conflito. Na Tunísia, apesar do fim da censura instaurada pelo antigo regime, o setor midiático luta para se estruturar


ENTREVISTA ITAMAR VIEIRA JR.

“A literatura brasileira estava muito restrita ao ambiente urbano e à classe média”

Edição 168 | Brasil

Em entrevista, o premiado escritor Itamar Vieira Jr. afirma que seus livros narram histórias marginalizadas na produção contemporânea e ajudam a contar a história do país


ARTES

Um tráfico de especialistas

Edição 168 | Mundo

No ranking do tráfico internacional, o comércio ilegal de obras de arte ocupa o terceiro lugar, atrás apenas das drogas e das armas. Ele prospera apesar da criação de unidades de investigação especializadas e da tomada de consciência do que representa para os países roubados. Na Itália, o tráfico conjuga práticas de vigaristas estabelecidos e a lavagem de obras por parte de especialistas


DE ANDRÉ MALRAUX A JACK LANG, UMA DEMOCRATIZAÇÃO INACABADA

Agora, tudo é cultural!

Edição 168 | Mundo

Quase todos os políticos concordam em afirmar, com uma convicção tocante, que a cultura é fundamental para a democracia. Falta definir em que e como. Da “democratização” à “democracia”, da “exceção” à “diversidade”, a política cultural mudou profundamente desde o escritor e ministro da Cultura André Malraux, particularmente nas fileiras da esquerda


FEMINISTAS DO LESTE E DO SUL, UMA CONTRIBUIÇÃO ESQUECIDA

As “avós vermelhas” do movimento feminista internacional

Edição 168 | Europa

Apesar da produção editorial profícua, a história do feminismo tem seus pontos cegos. A contribuição dos países do antigo Bloco Oriental, por exemplo, raramente é mencionada. Entretanto, a aliança que amarra suas organizações de mulheres àquelas das antigas colônias do Sul desempenhou um papel crucial no avanço da igualdade de gênero em todo o mundo


LIVROS E WEB

Miscelânea – Resenhas

Edição 168 | Mundo