É preciso falar de Rafael Braga Vieira

A compreensão do sistema penal exige de nós não só uma reflexão aprofundada sobre o racismo e sobre como ele tem estruturado as relações de opressão, mas também um questionamento ativo do papel reprodutivo que a ideia de raça desempenha para o sistema penal, colocando de modo manifesto a estrutura da colonialidade que tem informado …

por em

O grande retorno da China-mundo

Enquanto a China está no processo de se impor no mundo inteiro por seu aumento de poder (ao menos suposto), podemos nos questionar a respeito de sua pretensão à universalidade e de sua capacidade de pensar em uma nova globalização. A noção de universalidade apresenta esse paradoxo muito conhecido de que ela é tudo menos …

por em

O belo Danúbio negro

Cabeças rapadas ou cabelos compridos estilo Conan, o Bárbaro, camisetas com motivos góticos, cartucheiras e grandes anéis de caveiras, tatuagens elaboradas em bíceps musculosos, lata de cerveja na mão… os metaleiros não conhecem fronteiras. Eles estavam maciçamente presentes nessa noite de agosto de 2016, em uma pequena cidade à beira do Lago Balaton, na Hungria, …

por em

O Brasil será o Paraná?

É bom nos prepararmos para tempos mais turbulentos, em que o conflito social vai tomar as ruas, vai ocupar os prédios públicos, vai pressionar os parlamentos, vai tensionar nossa democracia. Com a aprovação da PEC n. 241, o corte no orçamento das políticas públicas e a redução nos programas de proteção social vão ser fundos …

por em

Por que os colombianos rejeitaram a paz

Entender o voto de 2 de outubro na Colômbia implica compreender as razões que conduziram as duas partes a promover negociações e, sobretudo, analisar o contexto no qual estas se desenrolaram. De fato, o país está anestesiado por 52 anos de conflito, e quatro anos de negociações não foram suficientes para tirá-lo de um torpor …

por em

Moscou entra na decisiva batalha por Alepo

O principal objetivo da intervenção russa em setembro de 2015 foi rapidamente atingido: impedir uma derrota militar do regime sírio, que vinha perdendo terreno havia meses.1 A implicação de forças aéreas russas também tornou impossível a interdição de sobrevoo no território sírio. Em 2013, a diplomacia russa já havia evitado qualquer pretexto para uma intervenção …

por em

O quebra-cabeça norte-americano em Mossul

O Iraque só vai renascer quando Mossul for libertada. Devemos nos apressar para atingir esse objetivo.” Assim falava o primeiro-ministro Haidar al-Abadi em setembro de 2014, após ter obtido o voto de confiança do Parlamento iraquiano para formar um governo de unidade visando desmontar a Organização do Estado Islâmico (OEI). De adiamento em adiamento, seria …

por em

A insurreição alemã contra o livre comércio

Quem iria acreditar? Foi na Alemanha, terceiro país exportador do mundo, que se desenvolveu uma das mais fortes mobilizações europeias contra os acordos de livre-comércio entre a América do Norte e o Velho Continente: o Grande Mercado Transatlântico (GMT, mais conhecido por sua sigla em inglês Tafta), em fase de negociação, e o Acordo Econômico …

por em

A agonia do “extremo centro”

A política europeia atravessa um período de polarizações. Esse processo não surgiu por acaso. É uma resposta à radicalização do projeto neoliberal que se seguiu à crise financeira de 2008: aumento brutal das desigualdades, aceleração da destruição do Estado social, expulsão de milhões de trabalhadores daquilo que lhes concedia até então a plena cidadania – …

por em

Aborto, o obscurantismo polonês

  Foi em 2 de janeiro. A mulher que devia nos levar ainda estava bêbada do réveillon. Um homem dirigia no seu lugar, e ela indicava o caminho. Éramos três no banco de trás, apertadas naquele carro tão podre, que fedia a álcool, e onde não podíamos abrir as janelas.” Como milhares de outras polonesas, …

por em

As ocupações se espalham… e as estratégias de repressão também

No dia 23 de setembro de 2016, o governo federal oficializou, por meio de medida provisória (MP), a nova política de fomento às escolas de ensino médio em tempo integral. Exatamente um ano antes era anunciada a “reorganização” da rede de ensino do estado de São Paulo. Como a MP, a reorganização foi apresentada de …

por em

Trabalhadores em educação resistem

A MP n. 746, enviada pelo Executivo federal ao Congresso em 22 de setembro de 2016, com a finalidade de reformar o ensino médio no Brasil, insere-se num conjunto de medidas neoliberais e conservadoras que caracterizam o governo do presidente Michel Temer, considerado golpista por grande parte da literatura jurídico-política e por movimentos sociais. O …

por em

Entre o autoritarismo e a esperança democrática

  Todos sabem que a Primavera Árabe começou no fim de 2010, no Magreb, quando a queda da ditadura tunisiana abriu o ciclo de revoltas populares que tomariam a região. Mas frequentemente esquecemos que o precursor histórico desse movimento também teve lugar no Magreb, na Argélia, onde as enormes revoltas de outubro de 1988 fizeram …

por em

Uma etapa crucial da contrarreforma

Para que serve o ensino médio? No período da ditadura empresarial-militar, a resposta se deu por meio da Lei n. 5.692/1971: formar “recursos humanos” para o trabalho simples e para tornar o exército industrial de reserva apto para pressionar os salários para baixo. Isso seria feito por meio da profissionalização precoce. O projeto fracassou. O …

por em

A MP n. 746 no contexto de privatização da educação regional e global

Aeducação é um direito humano fundamental, reafirmado em uma ampla gama de instrumentos regionais e internacionais de direitos humanos, bem como nas legislações nacionais de todos os países da América Latina. Nessas normas, a responsabilidade do Estado de respeitar, proteger e realizar os direitos humanos, entre eles a educação, é colocada de forma inequívoca. O …

por em

Brasil: uma política educacional fundamentada em mitos?

Mito 1 –A educação básica é majoritariamente privada nos países mais desenvolvidos. Mesmo nos Estados Unidos, comumente tomados como exemplo, nove em cada dez estudantes da educação básica estão em instituições públicas.1 Com raras exceções, a maioria dos estudantes de cada país frequenta instituições públicas.   Mito 2 – No ensino médio, predominam as escolas …

por em

Uma política na contramão do trabalho

A promulgação da Constituição Federal de 1988, em particular o capítulo dos direitos sociais, representa um marco na história do país. Passados 28 anos, os princípios escritos para a Previdência Social brasileira vêm sofrendo um contínuo processo de desestruturação de suas bases institucionais. Nesse intervalo de cinco presidentes (Collor/Itamar, FHC, Lula e Dilma), não se …

por em

Masoquismo eleitoral

Paradoxo singular, a herança de Margaret Thatcher é repudiada em seu país no momento em que suas poções econômicas mais amargas fazem sucesso na França. Em 5 de outubro, a primeira-ministra britânica, Theresa May, impingiu aos militantes de seu partido um discurso que acabou por deixar alguns deles estupefatos. Denúncia de uma sociedade gangrenada pelos …

por em

Punk, anarquista e prefeito

Nos dias seguintes ao desmoronamento de 2008, a capital da Islândia era a imagem da desolação. A floresta de guindastes erguida durante a bolha financeira tinha desaparecido. Os prédios inacabados de Reykjavík ofereciam à nevasca seus flancos de concreto bruto. Uma parte importante da população, superendividada, perdia a moradia ou se desdobrava para conservá-la. Durante …

por em

Nem todas as mulheres dos Estados Unidos são Hillary Clinton…

  Quando ela se inclina, a blusa se entreabre e podemos ler em seu colo: “Ela acreditou que era capaz, então fez”. A tatuagem é sua oração. Após vários anos trabalhando na administração pública e ganhando mal por falta de diploma, Tiffany Runion decidiu retomar os estudos. Matriculou-se na Universidade de Toledo, uma pequena cidade …

por em

Haiti, o impasse humanitário

Onze horas. As operárias da Factory 4 e seus raros colegas homens deixam o trabalho e, lentamente, se esparramam sob o sol forte. A maior parte ainda veste o avental e o boné obrigatórios. Aquelas e aqueles que não se dirigem precipitadamente ao refeitório disputam o pouco de sombra proporcionado por algumas árvores para comer …

por em