A cruzada de Sarkozy

Era quase rotineiro: a França elegia um presidente e, um ano depois, um jornalista fazia o balanço de sua gestão e constatava a manutenção da política externa. Esse foi o consenso imposto em 1958 por Charles de Gaulle e seguido pelos governos que lhe sucederam, tanto de esquerda como de direita. Mas com a eleição …

por em

O Bolsa Família funciona?

Dona Maria da Penha não teve uma trajetória muito fácil. Começou a lida na roça aos 8 anos de idade. Diz que não aproveitou a infância, sua única lembrança é ter trabalhado a vida toda. Saiu do interior do Espírito Santo para ser empregada em casa de família no Rio de Janeiro, mas logo cansou …

por em

Mais para quem tem mais

O recente projeto de reforma tributária em tramitação na Câmara dos Deputados tem uma característica muito semelhante a todos os outros elaborados nos últimos anos no Brasil: está sendo pouco discutido pelos verdadeiros interessados, a maioria do povo brasileiro. O debate em torno desse assunto sempre acaba centrado na diminuição dos impostos, já que a …

por em

A ‘democratização conservadora’

Do Congresso do Partido Comunista Chinês (PCC) em outubro de 2007 até os preparativos para os Jogos Olímpicos, passando pela tarefa de administrar o “caso tibetano”, não se pode dizer que a China tenha oferecido uma imagem renovada do seu sistema político. Esse conservadorismo que emana “de cima” contrasta, porém, com a amplidão, a freqüência …

por em

Devagar com o andor

Barack Obama é um homem de sorte. Surge após um dos presidentes mais impopulares da história de seu país, é jovem, mestiço e todo o planeta parece esperar que ele chegue à Casa Branca. Está, portanto, mais bem municiado que qualquer outro concorrente para “renovar a liderança norte-americana no mundo”1, ou seja, reabilitar o nome …

por em

Ainda muito longe da normalidade

Reeleito presidente do Haiti em 2006, René Préval define-se como um presidente de transição. É um homem simples, modesto e honesto. Qualidades tão raras em seus antecessores! Ele pode até mesmo, se você estiver no Palácio Nacional e for seu último interlocutor do dia, assumir o volante e levá-lo de volta para casa. Sem motorista …

por em

Educação na redoma

“Eu nunca deixei a minha escolarização prejudicar minha educação” Mark Twain Em Ohio, estado determinante para a reeleição de George W. Bush, bate o coração da América profunda. Da América que sofre com a crise econômica e vê prosperar a ideologia conservadora num terreno antes fértil para a esquerda1. Em um de seus rincões, o …

por em

A nuvem da informação

Como se fosse um fluido vital, a informação digital está presente em todos os lugares de nossa sociedade: circula nas redes, é exibida nas telas e ouvida nos telefones celulares. Os artefatos materiais, outrora intimamente ligados às nossas práticas de acesso à informação – livros, jornais, discos, cartazes, quadros, álbuns de fotografias –, se tornaram …

por em

Pura especulação

Em 21 de junho de 2007, uma das obras do britânico Damien Hirst recebeu um lance inédito para um artista vivo: € 13 milhões. Quando Lullaby Spring, um armário de metal repleto de comprimidos pintado à mão, foi arrematado na sede da Sotheby’s, em Londres, Hirst tinha 42 anos. Pouco tempo depois, esse mesmo artista …

por em

Quem pode fazer

A vida nas cidades está cada vez mais complicada para todos. Não escapa ninguém. É o trânsito, é a poluição, é a violência, é o medo, é a pobreza convivendo com a opulência. Neste momento de campanha eleitoral, muitos candidatos vão prometer resolver ou ao menos amenizar esses problemas. Mas é muito improvável que alguma …

por em

Profetisa conservadora

Poucas pessoas já ouviram falar dela, mas Ayn Rand (1905-1982) é a autora de dois imensos best-sellers nos Estados Unidos, The Fountainhead (1943) e Atlas Shrugged (1957). Este último, uma saga em que se misturam grandes empresários, suspense e utopia. Indivíduos ilustres desaparecem misteriosamente, um depois do outro. Resultado: a civilização norte-americana entra em colapso. …

por em

A dinâmica da degringolada

Chama a atenção o caráter edulcorado da nota publicada no último dia 14 de junho ao término da reunião dos ministros da economia do G8: “A inovação financeira tem contribuído consideravelmente para o crescimento e para o desenvolvimento mundiais, mas, diante dos riscos à estabilidade financeira, é imperativo o aumento da transparência e da consciência …

por em

Quando a água bate no peito

“Crise é um estado no qual as coisas irregulares são a regra; e as coisas regulares, impossíveis” (Marcel Mauss1) O que dizer de um estado no qual as finanças oscilam, o preço da energia dispara e a desconfiança popular provoca uma série de distúrbios? Em Wall Street, o Federal Reserve (FED) coloca os bancos sob …

por em

A lógica da desordem

Em menos de 40 anos, entre as décadas de 1940 e 1980, a população brasileira passou de predominantemente rural para majoritariamente urbana. Impulsionado pela migração de um vasto contingente de pobres, esse movimento socioterritorial, um dos mais rápidos e intensos de que se tem notícia, ocorreu sob a égide de um modelo de desenvolvimento urbano …

por em

O desafio das metrópoles

O destino das metrópoles está no centro dos dilemas das sociedades contemporâneas. As transformações econômicas, sociais e tecnológicas em curso desde a segunda metade dos anos 1970, em especial as decorrentes da globalização e da reestruturação socioprodutiva, aprofundaram as dissociações engendradas pelo capitalismo industrial entre progresso material e urbanização, economia e território. Segundo previsões de …

por em

Utopias tecnocráticas

Faz quase 50 graus à sombra. Fortes rajadas varrem a superfície de areia e pedras, provocando um turbilhão de cor ocre. Aqui, à margem do Golfo Pérsico-Arábico, a 30 quilômetros a leste de Abu Dhabi, se erguerá, até 2016, a nova cidade de Masdar, cujo nome, em árabe, significa “fonte”. “Não será a futura capital …

por em

Propostas para um futuro melhor

Com o debate eleitoral começando a se aquecer, é hora de discutir o que queremos para a nossa cidade. Sem dúvida, a população de São Paulo merece uma qualidade de vida muito superior à que tem atual-mente. Merece e precisa. Garantir um futuro melhor, porém, não é nada fácil: é necessário comprometer a sociedade e …

por em

Cortázar, o mágico

Julio Cortázar teve sem dúvida uma das imaginações mais ricas e abundantes da literatura no século 20. O que, para ele, não excluía um comprometimento firme com as lutas anti-imperialistas. A recente publicação de sua obra completa em um volume [1] é, sem dúvida, uma grande oportunidade para redescobrir toda a complexidade desse escritor. Em qualquer …

por em