Miscelânea

TODO PODER AOS SOVIETES! A REVOLUÇÃO RUSSA 100 ANOS DEPOIS Ana Cotrim e Vera Cotrim (orgs.), Zouk Passado um século, a palavra de ordem “Todo poder aos sovietes”, entoada por trabalhadores e trabalhadoras nas manifestações de julho de 1917, em Petrogrado, ainda se faz sentir: se não como realidade, certamente como necessidade. Diante da pungência …

por em

O espectador impaciente

No cinema, o espectador contemporâneo é uma pessoa apressada. É preciso que a ação comece desde a primeira imagem do filme, que as sequências se encadeiem com a velocidade de uma metralhadora pesada, que os planos se sucedam ao ritmo do bater de asas de um beija-flor. O espectador e a espectadora contemporâneos são crianças …

por em

Greves em cadeia

Em 3 de abril de 2018, primeiro dia da greve dos ferroviários na França, a mesma imagem foi exibida por horas na BFM TV (rede francesa de notícias 24 horas): a de uma plataforma lotada, com uma seta vermelha apontando para uma “passageira empurrada na via”. O apresentador interpelou um representante da União Nacional dos …

por em

A Goodyear e seus fantasmas

Todo janeiro faz Sabrina Cadoret mergulhar de novo na dor daquele início de 2014, quando seu marido, Laurent, recebeu a carta de demissão da Goodyear. Por doze anos, esse homem de 30 anos fabricou pneus na região de Amiens-Nord. Um ano antes da dispensa, após cinco anos de batalha sindical, a direção do grupo tinha …

por em

As crianças mimadas do supermercado

A ideia de que vivemos em uma sociedade de consumo é evidente. Basta percorrer as artérias de nossas grandes cidades para nos extasiarmos ou nos exasperarmos diante da abundância de bens expostos e das mensagens que eles promovem. Dessa constatação, que já tem mais de meio século, surge uma dupla afirmação. De acordo com a …

por em

Marx e a exploração da natureza

Nos últimos anos, a crescente influência das questões ambientais se manifestou sobretudo pela releitura, por meio do prisma da ecologia, de muitos pensadores, de Platão a Mahatma Gandhi. Mas, de todos, foi sem dúvida Karl Marx quem deu origem à literatura mais abundante e mais polêmica. Anthony Giddens afirmou que Marx, embora tenha oferecido provas …

por em

A miséria do futebol africano

 Em Koumassi, comuna a sudeste de Abidjã, o pátio da escola municipal se transforma em campo de treinamento durante as férias escolares. Nessa manhã de abril, os aprendizes de futebol da “academia” Métro Star chutam a bola, sob um calor sufocante. Cofundador dessa academia semelhante a centenas na capital econômica da Costa do Marfim, Aristide …

por em

Porcos, touros e gatos no banco dos réus

Em 1408, dois processos muito singulares se desenvolveram paralelamente no reino da França e em suas redondezas. Em Pont-de-l’Arche (ducado da Normandia) e em Saint-Mihiel (ducado de Bar), porcos acusados de terem matado crianças foram condenados à forca. Alguns anos antes, em 1386, na Falaise, uma porca, também acusada de infanticídio, foi maquiada como se …

por em

Fazer jus aos direitos dos animais

Em caso de divórcio, quem vai ficar com o cachorro? Como avaliar os prejuízos causados pelas divagações de uma vaca perambulante? O que fazer em caso de desrespeito a espécies protegidas? Todas essas perguntas e muitas outras relevantes na França encontram-se em textos espalhados em sete códigos legislativos (Civil, Penal, Rural, do Meio Ambiente etc.) …

por em

A era dos açougueiros vegetarianos

As vacas francesas poderão em breve morrer alegremente: em virtude de uma lei votada em maio pela Assembleia Nacional, cada matadouro será dotado de um “responsável pelo bem-estar animal”, que zelará para que os bichos estejam bem “atordoados” – ou seja, eletrocutados ou dopados com gás – antes de sua execução. Não há certeza de …

por em

Um balanço da gestão de Pedro Parente

Os interesses econômicos e políticos por trás do conjunto de medidas adotadas pela Petrobras no biênio 2016-2018 ainda não foram observados com o devido cuidado. Um balanço da gestão de Pedro Parente também é uma avaliação dos pontos de convergência e das fissuras do bloco no poder que primeiro montou as bases para a ascensão …

por em

Petróleo: números, tendências e estratégias

  “A dependência dos sistemas energéticos e sua complexidade e alcance crescentes deixam em evidência a necessidade de entendermos os riscos e as exigências da segurança energética no século XXI. Cada vez mais o comércio de energia ultrapassa as fronteiras nacionais. Além disso, a segurança energética não é apenas combater a enorme variedade de ameaças; …

por em

No Peru, os Wampis estão determinados a proteger seu território

São 8 horas da manhã quando nosso barco sai do porto de Santa María de Nieva, capital do departamento de Condorcanqui, no norte do Peru. Leva cinco horas para chegar a La Poza, uma pequena aldeia no coração das terras wampis,1 onde vivem cerca de 10 mil pessoas – caçadores, pescadores, horticultores, mas agora também …

por em

O investidor não vota

Os europeus acabam de redescobrir: um dos atores mais influentes de suas democracias se preocupa pouco com as urnas. Seu nome? “O investidor”. Em maio de 2018, a Itália retomou essa lição quando o presidente Sergio Mattarella rejeitou a nomeação de Paolo Savona para o cargo de ministro da Economia. Este último tinha o apoio …

por em

Sob os bons cuidados da CIA…

Com a eleição de Donald Trump para a Casa Branca, os norte-americanos poderiam se sentir menos propensos a cantar os louvores de seu sistema político. Não foi o caso. O discurso sobre a excepcionalidade dos Estados Unidos simplesmente mudou de forma: agora algumas pessoas gostam de repetir que os mecanismos de controle dos poderes previstos …

por em

Nova velha desinformação

Em 1939, 20 mil simpatizantes do nazismo se reuniram no Madison Square Garden. O calendário marcava 20 de fevereiro, e o prefeito de Nova York, Fiorello La Guardia, mobilizou cerca de 1,7 mil policiais para manter a ordem – no entorno do Garden, estima-se que cerca de 10 mil manifestantes tenham se reunido para protestar …

por em

WhatsApp e as possibilidades de fortalecimento da democracia

  Seria possível definir os rumos de um país apenas com um app? Influenciar resultados eleitorais, difamar políticos, recriar a realidade difundindo notícias, “falsas” ou “verdadeiras”, ao atingir grupos específicos e peças-chave em estratégias de (des)informação? Quando quase 80% dos brasileiros usam o WhatsApp, não é surpresa a importância e o poder político da ferramenta …

por em

Quem dá mais na campanha eleitoral na internet?

De maneira inédita no Brasil, as eleições gerais de 2018 serão marcadas como as primeiras em que se permite o impulsionamento pago de conteúdo eleitoral na internet. Essa mudança, alinhada a novas limitações de duração do horário eleitoral na TV e no rádio, coloca a rede como um dos principais campos de batalha para as …

por em

Os sentimentos comandam

Explorando medo e descontentamento, as elites criam uma agenda cujo centro da discussão é a violência, a corrupção e o crime. Essa agenda tem um duplo sentido. Ela cria uma percepção de que estamos todos ameaçados, é intimidatória, dissemina o medo. E tem uma função estratégica, de definir os temas do debate público. Não se …

por em

O capricho do príncipe

Depois de ter sido confortavelmente eleito à presidência da República com a aprovação da quase totalidade da mídia francesa, Emmanuel Macron exige que sua maioria parlamentar elabore para ele uma lei contra a difusão de “informações falsas” em período eleitoral. Talvez ele já esteja preparando sua próxima campanha. O texto, que deve ser votado em …

por em