Por que agora?

Fazia muito tempo que um movimento social não causava tanta preocupação aos governantes. A amplitude, a duração e a determinação do movimento dos “coletes amarelos” os surpreenderam desagradavelmente. Eles também foram desestabilizados por sua heterogeneidade em termos de interesse pela política, de atividade profissional, de local de residência e de orientação partidária. Ele não pode …

por em

O poder insuspeito das trabalhadoras

De colete amarelo, elas param o tráfego nas rotatórias, falam sobre sua vida cotidiana, lutam. Enfermeiras, auxiliares de vida social e babás também endossaram o paramento fluorescente para rasgar o véu que costuma ocultar o trabalho realizado nos bastidores. Mulheres e trabalhadoras, com dupla jornada de trabalho e renda modesta, elas tentam penosamente manter de …

por em

Intelectuais de internet chegam ao poder: a luta de classes do saber

Dizendo proteger a democracia ao suprimir o comunismo da sociedade, formam-se cruzadas que, ironicamente, suprimem a democracia – ao tolher o dissenso e a liberdade de expressão. Grupos organizados atuam em universidades e escolas para vigiar e denunciar supostos comunistas, sem provas, listando nominalmente professores e acusando-os de doutrinar e seduzir estudantes. Comitês governamentais são …

por em

Gal Costa: “Gosto de me jogar em abismos e experimentar coisas novas”

São poucos os artistas que podem se dar ao luxo de ter em um mesmo álbum músicas inéditas de compositores como Gilberto Gil, Djavan, Jorge Mautner e Adriana Calcanhotto. Soma-se a isso uma parceria com Maria Bethânia, além das participações de Erasmo Carlos e Guilherme Arantes. O novo disco de Gal Costa, o quadragésimo da …

por em

Dia da vitória

– Não feche a janela, por favor. Eu tinha dito isso de um jeito dócil, um simples murmúrio. Mas Svetlana me lançou um olhar fulminante. Era a enfermeira. Ela tinha todos os direitos sobre esse quarto e o doente que o ocupava. A quantidade de travesseiros, sua posição embaixo da cabeça, o cobertor a mais, …

por em

A Revolução, ah vai dar certo!*

Uma estranha maldição parece atingir os que se arriscam a realizar um filme sobre a Revolução Francesa, como mostra o mais recente Un peuple et son roi [Um povo e seu rei], de Pierre Schoeller, que estreou na França em 2018. Em nome de uma ilusão, a da objetividade histórica, e até mesmo da neutralidade …

por em

Por dentro da Rockstar Games

Quando, em 1998, os escoceses Samuel e Dan Houser fundaram a Rockstar Games, uma filial da Take-Two Interative, os videogames eram ainda, em grande parte, identificados com uma forma de lazer para adolescentes, sem grande interesse.1 À medida que o mercado se estendeu a uma clientela adulta, a Rockstar passou a desenvolver títulos que atraíam …

por em

Um capitalismo de vigilância

Aquele dia de julho de 2016 foi particularmente difícil para David. Ele passara longas horas ouvindo testemunhas de litígios relacionados a seguros em um tribunal empoeirado de Nova Jersey, onde, na véspera, uma queda de energia havia danificado o sistema de ar-condicionado. Finalmente em casa, imergiu no ar fresco como quem mergulha no mar. Pela …

por em

Denunciar as desigualdades, ignorar suas causas

Desde o sucesso fenomenal do livro de Thomas Piketty O capital no século XXI – publicado em 2013, foram vendidos 2,5 milhões de exemplares no mundo inteiro –, a desigualdade é vista por muitos como o grande problema moral de nossos tempos. Nos Estados Unidos, Karl Marx figura entre os best-sellers da categoria “Free Enterprise” …

por em

Como fazer as multinacionais pagarem o que devem aos países do Sul

Na nova ordem mundial, as multinacionais detêm um imenso poder econômico e exercem uma influência política decisiva. A falta de coordenação entre os regimes fiscais dos Estados lhes permite minimizar sua subordinação ao imposto, muitas vezes em detrimento dos países em que operam. Essa vantagem é ampliada também pelos paraísos fiscais – como a Irlanda …

por em

Bons e maus chineses

A cena se passa diante de nossos olhos, perto da entrada lateral do Hospital do Povo nº 1 de Hangzhou, ao sul de Xangai, na província de Zhejiang. A rua é calma. Uma mulher idosa espera em pé numa calçada separada da rua por uma pequena barreira que atinge a altura de seus joelhos. Ela …

por em

Fascistização no Brasil do tempo-de-agora

Há coisas que me encerram Ou que eu não ouso tocar Porque estão demasiado perto. “Nalgum lugar”, Zeca Baleiro Se nos perguntassem daqui a cem anos quais imagens relativas às formas da vida social o último século foi capaz de materializar, talvez o campo de concentração (primeira metade do XX), a corporação capitalista neoliberal (segunda …

por em

PSDB, 30 anos: festa ou funeral?

Quando se analisam as disputas de âmbito nacional, estadual e municipal, percebe-se que a trajetória do PSDB sempre foi bastante exitosa. A reeleição de Fernando Henrique Cardoso no primeiro turno, em 1998, marca o ponto alto da legenda, com sua afirmação como segunda força na Câmara dos Deputados – com 99 cadeiras, contra 105 do …

por em

Quem será capaz de parar o pêndulo argentino?

A eleição de Mauricio Macri à presidência da Argentina, em novembro de 2015, animou o mundo das finanças. Um empresário no comando de um país que há muito tempo desprezava o mercado? O Fórum de Davos acabava de encontrar sua estrela. Três anos depois, uma nova crise varre a Argentina, que apela para a “ajuda” …

por em

A trajetória da política fiscal de desoneração tributária no Brasil

Qual é o sentido de fazer política fiscal? Seria para estimular a formação da demanda agregada ou garantir a sustentabilidade da dívida pública? De forma geral, ela transita entre ambas; contudo, sua orientação depende da vertente ideológica que governa a política econômica. Com a Reforma Tributária de 1966, o governo federal montou uma estrutura fiscal …

por em

Por que o sistema educacional brasileiro nunca adotou Paulo Freire na prática?

Ao longo da vida, passamos por um processo permanente de transmissão, assimilação e aprendizagem de valores e comportamentos dentro de uma mesma cultura. Esse processo de endoculturação se dá geralmente por duas vias: 1º) o condicionamento do meio social; e 2º) a educação. Muitas vezes, porém, esse condicionamento social faz que sejam criadas regras que …

por em

“Eu tinha a impressão de estar sozinha”

Empurram a porta: a reunião semanal dos “coletes amarelos” começa. Ao longo da noite, cerca de 150 pessoas pegam o microfone: aqueles que se encontram nas ruas porque não conseguem mais pagar aluguel, aqueles que dependem dos restaurantes comunitários… Suas feridas e suas raivas, por muito tempo privadas – “noites a gritar na frente da …

por em

Quando tudo sobe à superfície

Em Paris, em 15 de dezembro de 2018, três “coletes amarelos” se revezavam na Casa da Ópera para ler uma mensagem dirigida “ao povo francês e ao presidente da República, Emmanuel Macron”. Já de início, o texto anunciava: “Este movimento não pertence a ninguém nem a todos. Ele é a expressão de um povo que, …

por em

São Paulo 2028

São Paulo é uma cidade segura. Muitas vezes, por causa do calor, durmo de janela aberta e, se saio para comprar pão para o café da manhã, deixo a porta da frente aberta também. Não é assim que fazem os californianos que moram em La Joya? Pois em São Paulo isso também se tornou possível …

por em