Na América Latina, a direita procura inventar um discurso social

Não há partidos conservadores no Brasil”, lamentava-se recentemente a revista Veja1 num artigo intitulado “O incrível caso do país sem direita” (3 abr. 2011). Diante de um Partido dos Trabalhadores (PT) que tirou da pobreza 40 milhões de pessoas desde 2003, nenhuma das 27 formações oficiais ousa se identificar como sendo “de direita”. Mesmo os …

por em

Confluências autoritárias

Uma observação mais atenta permite destacar elementos ainda pouco discutidos da relação entre o atual modo de operação de grandes interesses econômicos e as práticas de origem militar correntes no período de exceção. Estão hoje em curso procedimentos baseados em lógicas de operação próprias do pensamento militar gestado no período de exceção, agora aplicados ao …

por em

Moscou, entre demonstrações de força e influências sutis

Em matéria de política internacional russa, este início de 2014 foi marcado por dois acontecimentos capitais. Primeiro, os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, cuja organização deu lugar nas mídias ocidentais a uma vasta campanha crítica do regime de Vladimir Putin; depois, assim que os Jogos se encerraram, a crise ucraniana. De certa forma, esses …

por em

Sustentabilidade como chave para a manutenção da inclusão social

Ao longo da última década o Brasil pôs em marcha programas maciços de inclusão social e, ao mesmo tempo, aprofundou seu modelo de produção baseado na exploração intensiva de recursos naturais. As amplas iniciativas de erradicação da pobreza, redução das desigualdades e inclusão social ocorreram combinadas com uma conjuntura internacional de forte alta no preço …

por em

Crise de abastecimento era uma tragédia anunciada

Disponibilidade hídrica para consumo humano na região metropolitana de São Paulo, posteriormente estendida à macrometrópole de São Paulo – aglomeração de Jundiaí e metrópole de Campinas/Piracicaba –, há décadas é de conhecimento das autoridades e profissionais da área. A atual crise de abastecimento de água era previsível, ou como popularmente se diz, “uma tragédia anunciada”. …

por em

Causas justas, salários baixos

Trabalhar de outro jeito”, “reconciliar capital e trabalho”, “recolocar a economia a serviço do homem”: tais são as palavras de ordem gritadas há mais de um século pelas associações que se reclamam, assim como as empresas cooperativas e mutualistas, parte da tradição histórica da economia social e solidária (ESS). Por sua própria existência e modo …

por em

A máquina de punir

A utopia europeia se transforma numa máquina de punir. À medida que o funcionamento desta se aguça, instala-se o sentimento de que as elites intercambiáveis se aproveitam de cada crise para endurecer suas políticas de austeridade e impor sua quimera federal.1 Tal objetivo suscita a adesão dos conselhos de administração e das salas de redação. …

por em

O grande medo da Arábia Saudita

  O Irã sempre interferiu nos assuntos da Arábia Saudita. Em 2003, o sinal verde para os ataques da Al-Qaeda contra o reino1 veio de Teerã.” Professor da Universidade de Riad, nosso interlocutor parece seguro do que afirma. Ele se mantém impermeável à grande improbabilidade dessa aliança entre um regime xiita e uma organização sunita …

por em

Indecisão de Israel diante da crise síria

    Não faltam palavras no repertório israelense para designar os acontecimentos que agitam o mundo árabe nos últimos anos. Elas refletem a maneira como os diferentes atores percebem essas mudanças. Assim, a “Primavera Árabe” dos primeiros dias tornou-se, com o passar dos meses, um perigoso “Inverno Islâmico Radical”, depois, diante da persistente incapacidade dos …

por em

O mito da invasão árabe-mulçumana

O outono europeu de 1956, a França e o Reino Unido, aliados de Israel, ocuparam durante alguns dias o Canal de Suez, que acabara de ser nacionalizado pelo presidente egípcio. Porém, sob pressão soviética e norte-americana, as tropas viram-se forçadas a se retirar. Em reação a esse ataque, o presidente egípcio Gamal Abdel Nasser decidiu …

por em

Abstenção deforma a política francesa

As últimas eleições municipais francesas, nos dias 23 e 30 de março de 2014, suscitaram um dilúvio de comentários sobre o crescimento da extrema direita. Alguns chegaram até a ver nisso um quase plebiscito local em favor do Front National (FN). Essa enxurrada de declarações, artigos e reportagens televisivas contrasta com o que constitui o …

por em

Um golpe mortal no bem-estar social

Enquanto manifestantes protestavam contra um novo acordo de livre-comércio entre a União Europeia e Washington,1 os chefes de Estado e de governo europeus, reunidos em Bruxelas nos dias 19 e 20 de dezembro de 2013, avaliavam a aplicação de uma nova ferramenta: os acordos de natureza contratual, firmados entre a Comissão Europeia e os Estados-membros. …

por em

Em Ruanda, o resgate de uma tradição guerreira a serviço do governo

    Dança e poesia guerreiras, “vigília armada para o desenvolvimento”, salto em altura, luta, trabalhos comunitários, novos desafios econômicos… Em Ruanda, o governo de Paul Kagame escolheu fazer de uma instituição guerreira e educativa que existia antes da colonização europeia um dos principais vetores da reconstrução do país e da reconciliação entre seus habitantes. …

por em

Revolta ameaça o poder no Camboja

Phnom Penh, 3 de janeiro de 2014. O sol nasce na Avenida Veng Sreng, transformada em campo de batalha. Os grevistas das fábricas de roupas, numerosas no bairro, ergueram barricadas e atacam as forças da ordem. Pedradas, coquetéis molotov. Muitas centenas de policiais fortemente armados revidam com golpes de cassetete, granadas de gás lacrimogêneo e …

por em

Uma visita guiada à nova Grécia

Pré-história 2007. Com o objetivo de denunciar o surgimento de uma geração obrigada a se virar com 700 euros por mês, jovens com ensino superior lançam um movimento chamado G700. Cinco anos depois, o ontem inaceitável parece então um sonho, e a organização anuncia sua autodissolução: “Desde a criação do movimento, o destino dos protagonistas …

por em

Uma imprensa popular que ignora os pobres

Na hora em que as primeiras luzes do dia lentamente tiram Bombaim de seu torpor noturno, as ruas começam a formigar com milhares de entregadores que depositam pilhas de jornais ao pé dos imóveis ou dos cavaletes de madeira dos vendedores de rua. Os clientes, já reunidos em torno da banca, jogam algumas rupias sobre …

por em

Impacto das mudanças climáticas no Brasil

Segundo o Relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU de março de 2014, durante o século XXI os impactos das mudanças climáticas deverão diminuir o crescimento econômico, tornar mais difícil a redução da pobreza, agravar a insegurança alimentar e criar novas “armadilhas” de pobreza, principalmente em áreas urbanas e regiões castigadas pela …

por em

A falência de um modelo de gestão

Como é que chegamos ao ponto de faltar água, um bem público essencial, nas torneiras de muitas de nossas casas? O racionamento já está em vigor em regiões como a de Campinas, no interior, e na Grande São Paulo, mesmo que o governo do estado se recuse a reconhecer oficialmente essa política. No Rio de …

por em

Em defesa do compartilhamento público de dados científicos

A ideia de que o conhecimento deveria estar ao alcance de todos aqueles que quisessem apreciá-lo é uma questão recorrente na história da humanidade. Ela está presente desde os filósofos gregos da Antiguidade até os cientistas da Renascença, dos trovadores medievais aos grandes compositores eruditos do século XIX. Ao mesmo tempo, mecanismos de controle do …

por em

A crise é maior do que a chuva

A atual situação extremamente crítica de escassez de água nas regiões metropolitanas de São Paulo e de Campinas foi prevista há pelo menos uma década por técnicos da área e nos planos elaborados para os recursos hídricos regionais, visto que o consumo superaria a água disponível. Na prática, suas consequências na redução do suprimento já …

por em

Partido Quebequense, perseguido por sua própria história

  Partido Quebequense (PQ) sofreu sua derrota eleitoral mais aguda no dia 7 de abril de 2014. Um mês antes, a primeira-ministra Pauline Marois, do Partido Quebequense (PQ), decidiu chamar eleições. Confiante em sua vitória, esperava obter as cadeiras de deputados que faltavam para formar um governo majoritário. Mas, contra todas as expectativas, o Partido …

por em