Os governos e as ruas

Na Avenida Paulista, em 15 de março, os músicos tocaram o trecho “Fortuna”, de Carmina Burana, e um coro de milhares de vozes entoou “Fo-ra, Te-mer, Fo-ra, Te-mer”, na mesma cadência. O governo pós-impeachment começou sob protestos como esse, que prolongaram campanhas anteriores. Tanto o “Fora, Dilma” como o “Não vai ter golpe” decorreram dos …

por em

O desprezo pelo povo

O populismo transcende as divisões ideológicas tradicionais.1 Enquanto o nacionalismo anti-imigração de Donald Trump crescia para tomar de assalto o Partido Republicano e a Casa Branca, à esquerda Bernie Sanders mobilizava os trabalhadores com remédios inspirados no Partido do Povo (People’s Party), que emergiu no final do século XIX em resposta à influência de bancos …

por em

“Não somos uma colônia dos Estados Unidos”

Há cerca de dois anos, o atual presidente norte-americano, Donald Trump, e seus conselheiros começaram a estudar de maneira sistemática o estado de espírito de seus compatriotas. Entre os sentimentos que mais se destacaram: decepção, irritação, cólera, tristeza e desespero. Na política, o método nada tem de extraordinário, sobretudo para aqueles que dispõem do dinheiro …

por em

Moscou perturba o consenso global

Em dezembro de 2015, um clipe produzido para celebrar os dez anos do canal RT (ex-Russia Today) exaltava a emissora pública russa. Vestida com um uniforme soviético, Margarita Simonyan, redatora-chefe do canal de notícias, apresenta os funcionários da emissora sediada na Rua Borovaya, em Moscou: Liuba, a senhora da limpeza, “recebe suas ordens diretamente do …

por em

O desmonte do Estado de proteção social

Qualquer balanço que se faça do governo de Michel Temer, efetivado na titularidade da Presidência da República após um tumultuado e suspeito processo de impeachment, há de considerar que esse episódio não significou apenas uma troca de comando do Poder Executivo Federal, mas uma mudança de paradigma na relação com o mercado e com a …

por em

Um país repartido

Quase um ano sem Dilma. Desde 2015 o Brasil vem lidando com o problema da legitimidade das forças que disputam o controle do centro do poder político. Em 2015, as posições colidiam ao redor da questão sobre se o PT tinha legitimidade para governar o Brasil ante a crise econômica e moral para a qual …

por em

O fim dos partidos políticos?

Concebidas por pessoas próximas ao general De Gaulle para acabar com o regime dos partidos, que este julgava responsável por ter conduzido a França ao abismo em 1940, as instituições da Quinta República reproduziram justamente a “cena de contradição em um teatro de impotência” que ele havia denunciado. Mas, longe de resultar do jogo dos …

por em

Mais uma vez, a armadilha do voto útil?

Entramos numa era política em que muitas frases que começam por “Pela primeira vez que…” parecem anunciar a realização de uma eventualidade até então inconcebível. Na primavera francesa de 2017, a eleição presidencial marca a primeira vez em que não se questiona mais a presença da Frente Nacional (FN) no segundo turno: coloca-se a hipótese, …

por em

Os sortilégios da cultura

Nada mais escorregadio nem mais inequívoco que a definição da palavra “cultura”. Na fundação do ministério francês do mesmo nome, em 1959, ela remetia às obras, ao patrimônio, às criações da arte e da mente. Segundo o Larousse, ela designa “o enriquecimento da mente por exercícios intelectuais – conhecimentos num campo específico” e “o conjunto …

por em

Imigração constrange a esquerda

A imigração divide os principais candidatos à eleição presidencial francesa em dois campos: os que fazem de sua rejeição um capital eleitoral e aqueles a quem o assunto constrange. Muito prolixos, os primeiros atribuem aos estrangeiros todos os tipos de problemas, do desemprego ao terrorismo, da crise das finanças públicas à falta de moradias, da …

por em

Por onde andam os Pontos de Cultura?

    Cultura Viva e Pontos de Cultura, essa política é hoje referência no mundo e até o papa Francisco a abraçou, com os Pontos de Encontro e Agentes Jovens de Cultura Cidadã. De forma inusitada, em termos de políticas públicas, há que destacar que, mesmo sofrendo um forte desestímulo e até perseguição e criminalização …

por em

Dores de um parto incerto

O Brasil está profundamente polarizado. As redes sociais e o tom das manifestações de rua erigiram o Nós × Eles como um credo excludente da possibilidade de coalizão ou diálogo. Detalhe simbólico: o vermelho tornou-se uma cor de adesão política. Igualmente, a camiseta da seleção brasileira, até então um símbolo neutro da brasilidade, foi incorporada …

por em

Racismo, mídia e esquerdas

  O movimento antirracista no Brasil encontra-se em um grande dilema: não obstante ter obtido vitórias significativas no plano institucional nos últimos vinte anos, os mecanismos de exclusão racial, dos quais se destaca a intensificação do extermínio de jovens negras e negros nas periferias, continuam e, mais ainda, contam com defesas cada vez mais explícitas. …

por em

A Constituição contra Donald Trump

Em 21 de janeiro, dia seguinte à investidura de Donald Trump, vários milhões de pessoas em todo o território norte-americano participaram de centenas de “marchas das mulheres”. Após o decreto de imigração adotado em 27 de janeiro, manifestantes bloquearam aeroportos. Paralelamente, os grandes meios de comunicação multiplicaram pesquisas para denunciar as alegadas vilanias do presidente …

por em

A armadilha da dependência se fecha sobre o México

Novo secretário de Estado para o Comércio, Wilbur Ross está convencido: os Estados Unidos “sofrem uma guerra comercial há décadas, razão pela qual exibem tamanho déficit”.1 No encontro que precedeu sua indicação, o bilionário tinha anunciado sua prioridade para resolver a situação: renegociar o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta), assinado com o México e …

por em

Erdogan prevê fim do “modelo turco”

Desde 2014, a Turquia de Recep Tayyip Erdogan tenta reajustar sua política externa à luz da evolução do conflito sírio e também de sua situação interna. Na época da Primavera Árabe, em 2011, a experiência inédita do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), uma formação islamoconservadora reconduzida ao poder nas eleições de 2002, parecia o …

por em

A teoria zumbi das leis do mercado

O Brasil tem se defrontado com a realidade gritante de relações pouco transparentes entre grandes empresas e instâncias governamentais. O senhor identifica as condições históricas que poderiam melhor explicar essas relações? Quando se fala hoje em multinacionais, de forma implícita evoca-se um poder de novo tipo. Diante dele, os Estados que quiserem resistir encontrar-se-ão impotentes, …

por em

As grandes empresas e a corrupção

Todos os dias, os jornais impressos e os noticiários de televisão apontam mais alguém como corrupto graças às delações estimuladas pela Lava Jato e outras investigações. A rigor, todos os partidos estão envolvidos e as figuras mais proeminentes entre os políticos, a começar pelos presidentes da República, do Senado e da Câmara dos Deputados, são …

por em

Mudanças climáticas impactam mobilidade humana no Brasil

Você poderia traçar um cenário do impacto das mudanças climáticas nas migrações na América do Sul? A mudança do clima não afeta apenas comunidades distantes geograficamente, como aquelas deslocadas pelo degelo do Ártico no Alasca ou os pequenos países insulares em risco de desaparecimento pelo aumento do nível do mar. Os impactos da mudança climática …

por em