Consumismo infantil

Enquanto milhares de pais e mães vão freneticamente às compras para adquirir os presentes “encomendados” pelos filhos – talvez menos freneticamente neste final de ano em razão da chamada “crise financeira” –, poucos deles sabem que está em discussão, no Brasil e no mundo, a problemática relação infância-consumo e a questão da publicidade dirigida ao …

por em

Para salvar o planeta

Os processos dinâmicos ligados ao degelo – ainda não incluídos nos modelos atuais, mas sugeridos por observações recentes – podem aumentar a vulnerabilidade das calotas ao aquecimento, provocando a elevação do nível dos mares1.” Essa pequena frase, extraída do quarto relatório do Grupo Intergovernamental de Especialistas sobre a Evolução do Clima (GIEC), de 2 de …

por em

Sobre pássaros e lobos

Acordou com muita dor de cabeça. Existe muita propaganda para cerveja, mas nenhuma para ressaca. Colocou sua calça jeans Levi’s, vestiu sua camisa Onbongo, pegou o Motorola na mesa, sua carteira da Britt, seus óculos da Ray-Ban, sua chave com chaveiro do Corinthians, e finalmente vestiu seu tênis Nike clássico, modelo couro, com sola desenvolvida …

por em

O oceano Austral e o Brasil

Gelo, águas frias, tempestades, correntes marinhas e ventos como em nenhum outro lugar do planeta. Ah, e ondas, sim, ondas que fazem lembrar histórias dos grandes naufrágios, dos navios-fantasma e dos grandes homens do mar. O oceano Austral não se isola geograficamente pela presença das massas continentais que separam os mais bem conhecidos Atlântico, Índico …

por em

A alma do consumo

Todos os dias, em algum nível, o consumo atinge nossa vida, modifica nossas relações, gera e rege sentimentos, engendra fantasias, aciona comportamentos, faz sofrer, faz gozar. Às vezes constrangendo-nos em nossas ações no mundo, humilhando e aprisionando, às vezes ampliando nossa imaginação e nossa capacidade de desejar, consumimos e somos consumidos. Numa época toda codificada …

por em

Novos protagonismos

Em outros tempos, aqui mesmo na América do Sul, alguns líderes ficaram conhecidos como “pais” das populações que governavam. No Brasil, por exemplo, Getúlio Vargas foi o “Pai dos Pobres”. Herói da independência uruguaia, o general José Artigas também é chamado por lá de “Pai da Nação”. Mas o que estará mudando na política do …

por em

Riscos e oportunidades

Na atual crise financeira, a interpretação geral é a de que ela é estrutural e atinge o cerne do capitalismo neoliberal, mas é preciso muita cautela sobre suas respostas e efeitos. Nesse campo avaliativo, o foco está em saber se esta crise pode ser revertida, a exemplo de 1929 (que durou dez anos) e de …

por em

As ciências sociais hoje

Desigualdade. De acordo com o professor Marcelo Ridenti, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, esta é uma das questões que deixam inquietos os cientistas sociais brasileiros. Para ele, trata-se de um incômodo quase óbvio, que “expressa a preocupação da sociedade brasileira – uma das mais desiguais do mundo – em romper com …

por em

Propostas para agora

Os economistas – oficiais e oficiosos – procuram, com boas ou más intenções, vender ilusões a respeito do impacto da crise financeira mundial em nosso país. Mas a idéia de que estamos “blindados” – ou, pelo menos, razoavelmente defendidos dessa reviravolta global – está sendo desmentida cada vez que os jornais estampam fotografias dos automóveis …

por em

A máquina de vender livros

Um canal de distribuição de livros a preços baixos e com alto valor de uso. Obras significativas e de qualidade, mas dentro das possibilidades financeiras de qualquer cidadão. Essa idéia simples foi o ponto de partida, há mais de 7 anos, para a criação da “máquina de livro”, cujas unidades atualmente comercializam entre 12 mil …

por em

Desemprego à vista

Será que o desemprego nos atingirá em 2009? Essa pergunta expressa a grande dúvida atual da classe trabalhadora do país. Ao mesmo tempo, provoca ansiedade individual e coletiva ao recuperar, na memória dos brasileiros, a experiência ainda recente de desemprego de longa duração. Imediatamente lembramos que a falta de postos de trabalho provoca a queda …

por em

A pasteurização da esquerda

Na virada do século XX para o XXI, a América do Sul assistiu ao agravamento da questão social em decorrência das políticas neoliberais adotadas nas décadas precedentes. Isso fortaleceu os movimentos sociais e os partidos políticos que representavam alternativas de mudança. É o que explica a eleição para presidente da República de Hugo Chávez na …

por em

Nova era democrata

Nos últimos cem anos, houve apenas duas eleições presidenciais que mudaram fundamentalmente o rumo da política nos Estados Unidos: a vitória de Franklin Roosevelt em 1932, que anunciava uma era de hegemonia democrata, e o triunfo de Ronald Reagan em 1980, que marcou o começo de 28 anos de domínio republicano. Ainda que seja muito …

por em

Um G20 descartável

Inaugurada há 30 anos, a reunião anual do clube dos países ricos parecia ter envelhecido. O círculo se tornara estreito demais, ocidental demais, abastado demais. No início, a Ásia estava ali representada somente pelo Japão, geralmente mudo. A América Latina e a África não figuravam lá de maneira alguma. Queda de muros, sacudidas no mundo, …

por em

Jersey, o paraíso sem medo

Soltando gargalhadas em ritmo irregular, o homem de colarinho branco apaga o cigarro e entra apressadamente no edifício. Sobre o mármore da entrada, cerca de 50 placas douradas identificam os ocupantes desse prédio de escritórios: firmas de contabilidade, agentes de câmbio, advogados de negócios, administradores de sociedades de fachada… A engenharia da evasão fiscal invadiu …

por em

O subemprego asiático

Hu Ju Hua e Duan Yan Hong são costureiras chinesas. Mães de família, decidiram trabalhar no Japão por acreditar “que se tratava de um país da moda, apreciado pela qualidade e diversidade de suas roupas, e detentor de uma economia reconhecida e sólida”. Nem cogitaram discutir seu salário com o futuro empregador, que as recrutou …

por em

Em busca de recursos naturais

Um mercado único europeu de eletricidade e de gás, que fosse verdadeiramente competitivo, se traduziria por uma queda dos preços, uma melhoria na segurança do abastecimento e um reforço da competitividade. Também teria um efeito benéfico sobre o meio-ambiente.” Ao redigirem essas frases no Livro Verde de 2006, acerca do desenvolvimento de uma política energética …

por em

Rússia e suas raízes muçulmanas

Apesar da repressão impiedosa que acabara de impor aos rebeldes da Chechênia, em 10 de outubro de 2003 o então presidente russo Vladimir Putin tornou-se o primeiro chefe de um Estado com maioria não-muçulmana a tomar a palavra na cúpula da Organização da Conferência Islâmica, que reúne 57 Estados muçulmanos. Um sucesso político e diplomático. …

por em

O publico e privado: quem fica com as aposentadorias

Muitos argentinos reagiram de forma agressiva à aprovação da lei de nacionalização das aposentadorias, em 7 de novembro deste ano1. Apesar de ter obtido esmagadora maioria no Parlamento, a proposta do governo de Cristina Kirchner foi classificada como “espoliação” por parte da população. A medida provocou fuga de capitais e fortes baixas das Bolsas de …

por em

Regularização fundiária

Mais de 40 milhões de pessoas moram em áreas consideradas irregulares nas cidades brasileiras. Ou porque não têm o título de propriedade, ou porque lhes falta acesso a algum item de infra-estrutura básica como água, luz elétrica, coleta de esgoto ou coleta regular de lixo. O intenso processo de urbanização das últimas décadas é o …

por em

Pensar um mundo novo

Nos últimos meses a fé dos fundamentalistas de mercado se viu profundamente abalada. Durante décadas seu discurso foi o da defesa do livre mercado, sustentando que a concorrência é a melhor forma de regulação dos atores econômicos. Seu poder foi tamanho que obrigou os Estados nacionais a aceitarem suas imposições. Suas idéias tornaram-se hegemônicas e …

por em

O elo frágil da esconomia global

Quando analisamos o setor imobiliário, pensamos imediatamente na bolha especulativa”, frisa Adam S. Posen, economista do Peterson Institute, em Washington. “Mas, sem dúvida, há uma demanda real de compra, que também é responsável pela crise atual”, pondera. De fato, a alta na procura por imóveis é um fenômeno evidente: de acordo com uma pesquisa realizada …

por em