Impostos e cidadania

Na sociedade republicana e democrática, é o povo que determina, por meio da Carta Constitucional, quais os fundamentos e objetivos do Estado. Esta afirmativa, num país como o Brasil, de tradição política autoritária, pode soar abstrata, como se tivesse sido extraída de um curso de teoria do Direito. Mas, desde a promulgação da atual Constituição, …

por em

Biosfera ameaçada

No romance de ficção científica A guerra dos mundos, de H. G. Wells, os invasores marcianos, com tecnologia muito mais avançada que a dos terráqueos, conquistam nosso planeta sem qualquer dificuldade. Em seus cilindros, os marcianos trazem não só suas máquinas, mas também o “mato vermelho”, uma forma agressiva de vegetação marciana que se alastra …

por em

Leonardo Boff: mudar as mentes, mudar o mundo

LE MONDE DIPLOMATIQUE BRASIL – Como tratar o tema do aquecimento global e dos seus efeitos, especialmente nas cidades brasileiras, olhando para esse modelo de desenvolvimento?     LEONARDO BOFF – Eu creio que o governo do PT deve acumular mais consciência crítica sobre essas questões para poder reformular políticas que sejam adequadas às novas situações …

por em

Democracia 2.0

Você ouviu falar: em 2008, Barack Obama tornou-se o primeiro presidente da era digital, ao vencer uma eleição cuja estratégia estava fortemente baseada na internet. Obama começou a corrida como minoritário dentro de seu próprio partido. Relegado na disputa por financiadores, diante da proximidade de sua adversária democrata, Hillary Clinton, com setores riquíssimos, como os …

por em

Vale, a multinacional dos conflitos

Sudbury, 11 de março de 2010. Nesta cidadezinha, a 400 km ao norte de Toronto, no Canadá, os mineiros da companhia Vale/Inco formam uma fila única, aguardando sua vez de votar nas propostas em discussão. Eles estão em greve há oito meses e, na semana anterior, as negociações entre a diretoria da companhia e o …

por em

Escolas privatizadas, desempenho pífio

Quando eu entrei para o governo de George Bush (pai) em 1991, na qualidade de assistente do secretário de Estado da Educação, Lamar Alexander, eu não tinha uma ideia formada sobre a questão da chamada “livre escolha” ou sobre a da responsabilização dos professores. Mas, quando saí do governo, dois anos depois, defendia o princípio …

por em

Gratuitos, mas desiguais

  O Japão acaba de instituir a gratuidade nos colégios públicos. Desde a aprovação da lei, em 1° de abril deste ano – mês em que começa o ano escolar – o Estado se tornou responsável pelos custos da educação, particularmente elevados no arquipélago: ao menos 120 mil ienes/ano por aluno, ou cerca de R$ …

por em

Adaptação e flexibilidade

Androulla Vassiliou, comissária para a Educação na Europa, resume em algumas frases suas prioridades: “Aperfeiçoar as competências e o acesso à educação, concentrando-se nas necessidades dos mercados”, “ajudar a Europa a participar da competição globalizada”, “equipar os jovens para o mercado de trabalho atual” e “responder às consequências da crise econômica”.1    Esse pensamento sintetiza …

por em

Os paradigmas mudam conforme o tempo passa

O desenhista Jean-François Batellier, certa vez, criou um homenzinho nu que, de pé em seu planeta, perguntava ansiosamente ao fundo negro do universo: “Tem alguém aí?”. O homenzinho queria entender se havia sentido nesse mundo, a maneira como funcionava e qual o lugar que ocupava nele. E começou a fazer diferentes representações à medida que …

por em

Da breve Perestroika à eterna era Putin

Rússia de 2010 não é a União Soviética do fim dos anos 1970. Mas é verdade que as duas têm muito em comum: lá, onde reinava absoluto o Partido Comunista da União Soviética (PCUS), encontra-se desde então o Partido Rússia Unida, presidido por Vladimir Putin e constituído por 46% de funcionários de diversas hierarquias. O …

por em

Mais inteligência para matar

O século XX conheceu cerca de 140 conflitos: dois deles foram “mundiais” e 15 resultaram em mais de um milhão de mortos. Contam-se 25 antes de 1939 e 115 a partir de 1945. Até o fim da Guerra Fria, o ritmo se acelerava de acordo com os “progressos” na invenção de novos armamentos, cada vez mais …

por em

Um Estado, dois sonhos

“O menor dos perigos, o menor dos males seria a criação de um Estado único com direitos iguais para todos os seus cidadãos”, anuncia o presidente do Parlamento. Uma figura de destaque da vida política, um antigo ministro aprova e acrescenta: daqui para frente, não existe outra opção a não ser a proclamação de um …

por em

Para sair do impasse afegão

Em 2009, 2.412 civis foram mortos no Afeganistão1. No mesmo período, o noroeste do Paquistão, onde a população é de origem étnica pashtun – a mesma dos afegãos – contabilizou 12 mil2 vítimas, entre civis, militares e insurgentes. As conclusões das conferências internacionais sobre a região, realizadas em Londres (28/01/2010) e Cabul (21/08/2010), foram obviamente …

por em

E a defesa dos direitos?

Sem o MST, a violência no campo seria muito maior. Ele reúne, acolhe, inclui, dá dignidade e transforma o sentimento de revolta em ação coletiva, defende propostas de políticas públicas, politiza essas demandas. O mesmo pode-se dizer de movimentos sociais como os movimentos de moradia, de saúde, dos catadores, dos quilombolas, das mulheres, dos negros, …

por em

A estratégica Coreia do Sul

Situada a uma mesma distância de Seul, Xangai e do arquipélago do Japão, a pequena ilha sul-coreana de Jeju soube preservar sua cultura ancestral, principalmente ao continuar celebrando o espírito dos defuntos em rituais xamânicos cotidianos. Com suas falésias de rocha vulcânica erguendo-se como fortalezas sobre as águas cintilantes do mar da China Oriental, seu …

por em

Política externa e estratégia de desenvolvimento

LE MONDE DIPLOMATIQUE BRASIL – Qual é o balanço desses quase oito anos de política externa?      Marco Aurélio Garcia – O êxito que nós tivemos em matéria de política externa se expressa hoje numa forte projeção do Brasil no mundo, que foi dado essencialmente pelas grandes transformações que nós tivemos internamente porque não …

por em

Dinossauros à venda

Em Paris, dois objetos de história natural foram vendidos por 250 mil euros. Em dezembro de 2009, na prestigiosa sala Drouot-Montaigne, a casa de vendas Cornette de Saint Cyr comercializou por essa mesma quantia o esqueleto de um dinossauro do gênero Spinosaurus. No início deste ano, graças ao mecenato do grupo petroleiro Total, o Museu …

por em

Tributação e desigualdade

É bastante comum depararmos com a informação de que nossa carga tributária é elevada e nosso sistema tributário é injusto. De forma geral, todos se acham injustiçados pelo que pagam de impostos e exigem reformas.As críticas à alta carga tributária brasileira, no entanto, passam ao largo da discussão sobre a forma de arrecadação desses valores. Isto é, …

por em

Nossa luta

   Há um ano, fizemos um apelo aos nossos leitores1. Por serem parte de nossos projetos e de nossa situação financeira, pedimos doações, assinaturas, divulgação do jornal entre amigos e ainda mais regularidade na compra do Le Monde Diplomatique em bancas. A informação independente é um bem público, mas o essencial de nossas verbas ainda …

por em

Abrindo a caixa preta

No debate público sobre a tributação, é fácil perceber que as questões que realmente importam raramente aparecem. Discute-se o tamanho da carga tributária, a necessidade de melhoria do ambiente de negócios, a repartição das competências tributárias entre os entes federados, a simplificação das obrigações para as empresas, mas não se busca responder à pergunta primeira e …

por em

Na trilha de Lévi-Strauss

Há um ano, o mundo perdia um dos seus mais importantes pensadores contemporâneos. Em quase 101 anos de vida o franco-belga Claude Lévi-Strauss construiu uma vasta obra cAlcada principalmente no estruturalismo. Um universo de oposições que analisava diferentes áreas do conhecimento humano, da arte e filosofia à música e ecologia.     Mas muito antes de …

por em