Janeiro 2023

Edição 186

R$ 24,00Leia mais

INCORPORAR O PROTESTO NA TELEVISÃO?

A esquerda e a mídia

Edição 186 | França

Grande mídia: ir com ela ou não? Todo mundo que quer mudar o mundo já se deparou com esse dilema. De um lado, a necessidade de popularizar as lutas, o êxtase da visibilidade. De outro, a submissão aos padrões jornalísticos e à engrenagem da política como espetáculo


EDITORIAL

Os desafios que ficam

Edição 186 | Brasil

O novo governo se anuncia com o propósito de restaurar a democracia no Brasil, isso num momento de instabilidades, pressões e conflitos. Não será tarefa fácil e continuaremos assistindo a seguidos embates em uma sociedade fraturada


REGENERAR OS DANOS TERRÍVEIS QUE TEMOS CAUSADO

Sociedade do cuidado e governo das sementes

Edição 186 | Brasil

Entre a análise do país como está, as expectativas para o próximo governo Lula e os prognósticos apocalípticos que se tornaram corriqueiros, o que seria uma sociedade voltada aos cuidados vista dos lugares mais violentados pela falta deles?


UMA SOCIEDADE MAIS JUSTA E EQUITATIVA

Governo Lula: cuidar do povo brasileiro

Edição 186 | Brasil

Em tese, estamos todos de acordo que os programas de governo se baseiem em fortalecer a cidadania e a democracia. Mas nem todos concordam, na prática, que essa é uma via de mão dupla. Se o governo deve, por obrigação, cuidar da população, esta também precisa cuidar do governo escolhido pelo voto da maioria


REPARAÇÃO HISTÓRICA

O afeto como política para a construção de outros mundos

Edição 186 | Brasil

A mesma perspectiva que embasou o colonialismo – de estupros, assassinatos, destruição da natureza, roubos e apagamento de memórias – perdura até hoje. Essa perspectiva corrobora a repetição de um modo de vida e produção que a médio e longo prazos não significam outra coisa senão a morte – e coletiva. É o esgotamento como premissa


ENTREVISTA SÔNIA GUAJAJARA

“Construir um lugar em que caibam todas as sociedades”

Edição 186 | Brasil

Em entrevista, a deputada federal eleita Sônia Guajajara (Psol-SP) comenta as expectativas com o novo governo, analisa o legado deixado pela gestão anterior e destaca a agenda de lutas dos povos indígenas e o papel dos movimentos sociais na construção de uma sociedade que valorize a vida, o meio ambiente e as pessoas


É NO CENTRO DA ENCRUZILHADA QUE NOS LIVRAMOS DO CONTROLE E REENCONTRAMOS O CUIDADO

Epistemes de terreiro como acolhimento e cura social

Edição 186 | Brasil

Vivemos mais de quatro anos com medo de todos os lados, revestido pela falsa ideia de cuidado, com caminhos a serem trilhados aparentemente para proteger a família, a educação, a saúde, a religião, o bem-estar. Entretanto, sabemos que essa é também uma estratégia de encarceramento para nos confundir com noções de que controle é cuidado. Não é! Cuidado liberta, controle aprisiona


A INSTITUCIONALIDADE TEM RESERVAS QUE AS COMUNIDADES NÃO POSSUEM

Novo pacto social para cuidar do Brasil

Edição 186 | Brasil

Cuidar é o oposto de desrespeitar, humilhar e desautorizar. Se Lula quer ultrapassar a retórica hobbesiana sem depender do humanismo cirandeiro, precisa mostrar como políticas públicas geram respeito, evitar vender sustos de desenvolvimento que se transformam em humilhação social e reverter o exercício do poder encarcerador em autoridade simbólica minimamente libertária


DESTITUIÇÃO DO PRESIDENTE PEDRO CASTILLO

No Peru, o golpe permanente

Edição 186 | Peru

Eleito em 2021, o presidente peruano Pedro Castillo cometeu erros. Muitos erros. Porém, os equívocos dos líderes de esquerda pesam mais que os outros, já que a mídia perdoa tudo dos conservadores. Se as falhas de Castillo contaram tanto, foi porque ofereceram a seus adversários uma justificativa para o projeto que haviam imaginado desde que ele chegou ao poder: derrubá-lo


UMA COMUNIDADE SEPARADA DA SOCIEDADE

Com os menonitas da Bolívia

Edição 186 | Bolívia

Por várias semanas, a oligarquia boliviana lançou várias operações destinadas a enfraquecer, ou mesmo derrubar, o poder da província de Santa Cruz: manifestações violentas, greves patronais etc. Longe dessa agitação, mas a apenas algumas dezenas de quilômetros, uma comunidade religiosa evangélica vive uma vida atemporal. Um mergulho num mundo ao lado do mundo…


EM 1962, UMA BOA DECISÃO E MUITAS MENTIRAS

As negociações secretas sobre os mísseis em Cuba

Edição 186 | Cuba

O presidente Kennedy estava determinado a manter em segredo a troca dos mísseis norte-americanos na Turquia pelos mísseis instalados em Cuba – tanto para preservar o controle dos Estados Unidos sobre a Otan como para proteger sua própria reputação, que, assim como a de seu irmão, não sairia fortalecida da divulgação de suas conversas com Moscou


DESENVOLVIMENTO DE UMA INDÚSTRIA DA ESPIONAGEM

Emirados Árabes, laboratório mundial da vigilância cibernética

Edição 186 | Emirados Árabes

Em duas décadas, os dirigentes da federação dos Emirados Árabes Unidos adquiriram importantes meios digitais para fiscalizar e controlar sua população, inclusive a mão de obra estrangeira. A ponto de, hoje em dia, exportar essa tecnologia


A INVISÍVEL “REPÚBLICA DAS LETRAS” POR TRÁS DO REGIME DE XI JINPING

A China que pensa à margem dos discursos oficiais

Edição 186 | China

Ao contrário do que dizem os clichês que reduzem a China a um bloco monolítico, a população chinesa se movimenta e seus intelectuais pensam. As manifestações contra os confinamentos fizeram as lideranças políticas recuarem. Debates agitam os pesquisadores em torno de questões como essa e mais fundamentalmente em torno do futuro do país, sua especificidade, sua inserção no mundo… A despeito da pouca ressonância que alcançam no mundo ocidental, são debates de grande importância


A ARTE DE LISONJEAR OS “RECURSOS HUMANOS”

Humanizar para melhor capitalizar

Edição 186 | Mundo

Assim como as escolas de gestão ensinam a fazer o melhor uso dos meios financeiros ou das possibilidades de mercado, os novos administradores aprendem a gerir o ser humano, reduzido à categoria de um recurso como outro qualquer. E jogam com as emoções (empatia, cumplicidade, prazer, mas também medo e estresse) para atingir seus objetivos. Tudo decorre do “efeito Hawthorne”…


GRANDES LINHAS PARA UM ACORDO DE PAZ

O dilema de Washington: até que ponto armar a Ucrânia?

Edição 186 | Ucrânia

A guerra na Ucrânia já soma quase 200 mil mortos e feridos, e os apelos por negociações para um cessar-fogo aumentam, sem impedir a intensificação do conflito. Em dificuldades no front, a Rússia bombardeia as cidades ucranianas a partir de seu próprio território. E os Estados Unidos continuam a entregar armas cada vez mais sofisticadas à Ucrânia


AFLUXO DE IMIGRANTES EM UM PAÍS DE EMIGRAÇÃO

Na Polônia, a solidariedade desmorona

Edição 186 | Ucrânia

Desde a invasão russa à Ucrânia, milhões de refugiados chegaram à Polônia e muitos permaneceram. Nesse país de emigração, resistente à imigração, os recém-chegados têm acesso ao mercado de trabalho e à educação. Porém, o sistema de acolhimento polonês, previsto para ser temporário, depende da hospitalidade da sociedade civil, a qual está perdendo força


FERVOR POPULAR E AVERSÃO CULTURAL PELA RÚSSIA

Ucrânia, as fontes do patriotismo

Edição 186 | Ucrânia

A resistência a um invasor alimenta-se de símbolos compartilhados, de um fundo comum que afirma uma identidade ao mesmo tempo que constrói uma lenda ao longo dos acontecimentos. A mobilização patriótica na Ucrânia provém das fontes mais heterogêneas. Entre elas, um hino cantado por combatentes ucranianos que atuavam no Exército austro-húngaro em 1914 obtém um sucesso inesperado


ECONOMIA

O euro, muito forte, muito fraco ou muito dependente?

A mídia tradicional sempre vê a economia pelo ângulo da meteorologia: uma sucessão de fenômenos cujas causas não adiantaria determinar. É o que acontece com o valor das moedas, que passaria por períodos de mau tempo, seguidos de calmarias e até mesmo de raios de sol. No entanto, uma delas se distingue pelo acúmulo contínuo de nuvens: o euro


RESENHAS

Miscelânea

Edição 186 | Brasil

Leia as resenhas de “Olhos de Giz”, “Máscaras e bandeiras” e muito mais!