O desafio de construir uma Europa social

Jan Andersson, presidente da Comissão do Emprego e dos Assuntos Sociais do Parlamento Europeu, continua estupefato. Entre novembro de 2007 e junho de 2008, ele assistiu a Corte de Justiça das Comunidades Europeias (CJCE) concluir quatro processos declarando a primazia dos direitos das empresas sobre os dos trabalhadores. Socialista sueco, Andersson não esperava interpretações semelhantes …

por em

TV Universitária: você já viu uma

Uma rede de televisão presente em todo o Brasil com mais de 240 horas por semana de programação inédita. Cerca de 70% de suas emissoras com grades exclusivas de produção. Mais de 110 milhões de telespectadores1. Apesar de tudo isso, é difícil ouvir alguém dizer “eu assisto à televisão universitária”. Como reconhecê-la? Não é fácil, …

por em

A França na Otan

Nicolas Sarkozy gostaria que seu mandato marcasse a ruptura com um “modelo social francês” ao qual a falência do capitalismo financeiro à moda americana acaba de proporcionar algum alento. Agora, será que ele resolveu acabar com outra tradição francesa, a da independência nacional? Ainda que ele nunca tivesse mencionado tal “ruptura” durante sua campanha eleitoral, …

por em

Criação de valor ou extração de lucro?

No final dos anos 1980, a prática da criação de valor em favor do acionista começou a se impor. Esse conceito, que leva o nome, em inglês, de shareholder value, não só transformou por completo a organização e o funcionamento tradicionais das empresas como também alterou a coesão social da quase totalidade dos países industrializados. …

por em

A crise e as desigualdades de gênero

Nesse artigo analisamos as relações entre a crise e as desigualdades de gênero, tomando por base o conceito de Divisão Sexual do Trabalho, tal como define Daniele Kergoat. Queremos ir além dos impactos e ver como as relações de gênero estão no coração do sistema, sustentando as relações econômicas. Para enfrentar a crise do modelo …

por em

Limites intrínsecos do Orçamento Participativo

Apesar de alguns exemplos prévios de envolvimento da população na discussão do orçamento municipal, foi a experiência de Orçamento Participativo (OP) introduzida em Porto Alegre (RS) na gestão de Olívio Dutra (1989-1992) que se constituiu como modelo de participação. Ao longo dos últimos 20 anos, ela se disseminou mundialmente e tornou-se um exemplo de inovação …

por em

A relevância política da participação popular

Criado em Porto Alegre (RS) no começo dos anos 1990 a partir de pouquíssimas experiências anteriores – como as de Uberlândia, Lajes e Pelotas – em administrações progressistas do PMDB, o orçamento participativo (OP) rapidamente adquiriu visibilidade entre as esquerdas brasileira, latino-americana e europeia1. Aqui, a iniciativa tornou-se uma bandeira do Partido dos Trabalhadores (PT) …

por em

Até onde vão os efeitos redistributivos do OP

O Brasil é marcado pela desigualdade: riqueza e pobreza, luxo e miséria fazem parte do cotidiano das nossas cidades. Como reduzir essas disparidades tornou-se questão fundamental para a esquerda e o movimento popular e até hoje é uma de suas principais preocupações. A partir da redemocratização do país, a alternativa proposta foi a de construir …

por em

Entre a água e a comida

Ao longo da estrada desértica que vai de Riyad a Kharj se alinham, uma ao lado da outra, fábricas de tâmaras que não nos deixam esquecer que a Arábia Saudita é o maior produtor mundial do fruto. Na entrada da cidade, um grande cartaz anuncia a base aérea Príncipe Sultão, famosa por ter abrigado, até …

por em

Bangkok protege seu arroz

Arrendar arrozais a sauditas? Não, não acredite no que escreve a imprensa internacional. Um projeto assim não tem absolutamente nenhum futuro na Tailândia. Os investidores estrangeiros talvez possam adquirir terras em um país pobre e acuado como o Camboja, mas não aqui. Não na nossa casa!” Ainda que contundente, a declaração de Charin Hansuebsai, representante …

por em

A raposa e o galinheiro

A área total da Amazônia Legal é enorme – soma 508,8 milhões de hectares. Nessa região, as terras públicas, devolutas ou não, estão sob jurisdição da União e dos governos estaduais, e há também áreas sob domínio privado. A União não só detém a jurisdição das terras indígenas (127,1 milhões) e das unidades de conservação …

por em

Produção social de moradias

Harry Hopkins foi o braço direito do presidente Roosevelt durante a crise de 1929 nos Estados Unidos. Ele foi o idealizador das políticas de assistência aos desempregados e às populações empobrecidas com a crise. Depois de um período inicial de distribuição de cestas de alimentos, Hopkins verificou que a grande demanda, associada à autoestima e …

por em

Chuvas: a solução vem do céu

As epidemias que assolaram o Brasil nas últimas décadas do século XIX e nas primeiras do século XX influenciaram a abordagem técnica sobre o manejo das águas e, indiretamente, reforçaram na população o temor pelas várzeas, mangues e diversos tipos de terrenos úmidos e águas paradas, genericamente considerados indutores de algumas doenças epidêmicas. Em algumas …

por em

As armadilhas do pacote habitacional

Um pacote habitacional, ainda em gestação, vem sendo anunciado como um dos elementos-chave da estratégia governamental para impulsionar o crescimento da economia brasileira e enfrentar os efeitos da crise global. Composta de uma série de medidas destinadas a estimular a produção habitacional e manter o desenvolvimento dos setores imobiliários e da construção civil, essa mobilização …

por em

Desejo profundo de mudança social

Tudo parecia tranquilo na desigual sociedade guadalupense. De um lado, funcionários públicos e assalariados das grandes empresas. De outro, operários e empregados precários de companhias menores, subcontratados, simples jobeurs (trabalhadores sem registro) e Rmistes. Uns remunerados corretamente, outros, comendo o pão que o diabo amassou. Durante trinta anos, as relações sociais foram reduzidas a uma …

por em

Wall Street e o direito à cidade

Para David Harvey, considerado um dos precursores do materialismo histórico-geográfico no mundo, não é possível solucionar os problemas urbanos e garantir o direito à cidade para toda a população se não garantirmos a participação diretas dos cidadãos e cidadãs nos processos de produção e reconfiguração das cidades que devem estar voltadas para o bem estar …

por em

Dez anos de Chávez

Em fevereiro de 2009, Hugo Rafael Chávez Frías completou 10 anos como presidente da Venezuela. Um período marcado por processos conturbados, desde a Reforma Constitucional, passando por um golpe de Estado, até o recente plebiscito sobre a reeleição contínua para os cargos executivos e legislativos. Após a queda da ditadura de Marcos Peres Jiménez, o …

por em

De Guangdong a Caruaru

Em todo o mundo existem milhões de pessoas direta ou indiretamente envolvidas com o que denomino globalização econômica de baixo para cima, ou globalização popular, seja como produtores, vendedores ou consumidores. Quem de nós nunca viu produtos pirateados – eletrônicos, roupas, bolsas, tênis, brinquedos ou bugigangas globais – sendo comercializados em mercados populares ou por …

por em

Preparando-se para os conflitos urbanos

Desde o começo do século passado, a população urbana mundial quintuplicou. Atualmente, cerca de 280 aglomerações ultrapassam a marca de 1 milhão de habitantes e 27 têm mais de 7 milhões de pessoas. Calcula-se que em 2025, dois terços da população global morarão em cidades. Alguns apostam que essa cifra chegará a 85% por volta …

por em

O retorno do protecionismo

A amplidão e profundidade da crise reativaram o debate sobre o protecionismo. Debate esse muito sensível, a julgar pela virulência dos defensores do livre comércio, o qual foi transformado em fetiche. Escorado numa apresentação dos fatos que deturpa a verdade, por ignorância ou por vontade deliberada, o protecionismo desponta como verdadeiro tabu. E a recusa …

por em

A instabilidade do pós-colonialismo

Bem-vindo a “Tikoland”, o país onde se compra tudo. É assim que os opositores ao governo chamam Madagascar, em referência à Tiko, empresa dirigida pelo presidente Marc Ravalomanana. “Ele administra o país como administra sua empresa, como se os cidadãos fossem seus empregados. Mas eu não quero ser empregado da Tiko”, reclama Gisèle Rabesahala, presidente …

por em

Protecionismo para uns, livre comércio

O que pode motivar certos países a optarem pelo protecionismo? E quais outras circunstâncias os levam a dar preferência, ao contrário, ao livre comércio, inclusive em período de recessão e até mesmo de deflação? A resposta seguramente não poderia ser dada por especialistas, por mais que estes se mostrem quase unânimes. Os 1.028 economistas que, …

por em

Frantz Fanon, uma voz dos oprimidos

Foi como um estrondo no céu do pós-guerra. Em 1952, aparecia Pele negra, máscaras brancas1, uma “interpretação psicanalítica do problema negro”. A introdução proclamava: “É preciso libertar o homem de cor de si mesmo. Lentamente, porque há dois campos: o branco e o negro”. Seu autor, Frantz Fanon (1925-1961), foi ao mesmo tempo psiquiatra, ensaísta …

por em