No Congo, o candidato derrotado… é eleito

Excepcionalmente, a manipulação das eleições gerais de 30 de dezembro de 2018 na República Democrática do Congo (RDC) abriu uma fratura na África: de um lado, aqueles que queriam fazer prevalecer a verdade das urnas; do outro, aqueles que, com a África do Sul à frente, privilegiaram a decisão “soberana” do país. Inédita, essa divisão …

por em

“Sociedade brasileira é hipócrita e preconceituosa”, diz Ney Matogrosso

“Não falo de política”, afirmou Ney Matogrosso ao sentar no sofá de seu amplo apartamento na zona sul do Rio de Janeiro, em uma tarde abafada de fevereiro. A frase saltou da boca do artista como se fosse um bom-dia, acompanhada por um semblante amistoso, mas firme. Vestindo branco da cabeça aos pés, as pernas …

por em

A educação nas Forças Armadas

As propagandas eleitorais dos dois principais candidatos à Presidência em 2010, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), exibiam algo em comum. Em seus currículos, uma história pessoal de combate ao regime militar. Dilma, torturada, e Serra, presidente da UNE quando do golpe. Naquele mesmo ano, o último do governo Lula, a turma de cadetes …

por em

Miscelânea

A CRISE DO VALOR DE TROCA Robert Kurz, Consequência   O público brasileiro ganha tradução inédita de um texto fundador da crítica do valor (wertkritik), assinado por aquele que foi seu principal expoente, Robert Kurz. O ensaio A crise do valor de troca foi publicado originalmente em 1986 no primeiro número da revista Marxistische Kritik …

por em

Estratégia europeia para a esquerda

Um fantasma assombra a esquerda: a Europa. Ele assombrará os “coletes amarelos” a partir do momento em que eles se colocarem concretamente a questão das políticas alternativas – o que, de fato, já é o caso. É que toda a ideia de fazer “outra coisa” está condenada a se chocar com o muro dos tratados. …

por em

Viagem nas falsas verdades

Bernard-Henri Lévy Colunista do Le Point, Bernard-Henri Lévy iguala todos aqueles que lhe desagradam – a lista é infinita – a nazistas.1 Em dezembro de 2010, feliz demais para checar o fato, ele confundiu o jornalista do Le Monde Diplomatique Bernard Cassen com o panfletário antimuçulmano de extrema direita Pierre Cassen. O semanário recusou a …

por em

A filosofia do desprezo

“Je vous hais, compris?”:1 um dos slogans escritos com caneta hidrográfica em muitos coletes amarelos condensa em uma fórmula a atitude de Emmanuel Macron e a célebre frase do general De Gaulle, modelo exemplar do discurso duplo dos políticos. Para além das múltiplas reivindicações sociais e fiscais dos “coletes amarelos”, se há uma constante, é …

por em

Revoltas na periferia da Europa

A Sérvia está oferecendo a si mesma uma nova primavera no inverno. Como em 1996-1997, quando dezenas de milhares de cidadãos protestaram contra o regime de Slobodan Milošević, os cortejos serpenteiam pelas ruas de Belgrado todos os sábados. Surgido em 8 de dezembro de 2018, o protesto contra a política autoritária e antissocial do presidente …

por em

Na Índia, os “bons dias” vão ter de esperar

Enquanto o Bharatiya Janata Party (BJP), o partido nacionalista hindu no poder, busca renovar suas chances nas urnas na primavera, as ruas não esperaram: em 8 e 9 de janeiro, em toda a Índia, entre 150 milhões e 200 milhões de pessoas deixaram o trabalho para sobrecarregar as cidades com sua cólera. Ônibus nas garagens, …

por em

Políticas da morte e seus fantasmas

[…] os que sabem o que aqui se passou devem dar lugar àqueles que pouco sabem, ou menos que pouco. E por fim nada mais que nada […] Wisława Szymborska, “Fim e começo”, Poemas, Companhia das Letras. São Paulo, 2011.   O esquecimento, como nos diz o poema de Szymborska, é matéria não apenas do …

por em

O pacote de Moro nasce velho

Já havia anoitecido quando Jhonata Alves, de 16 anos, saiu da casa do tio, no Morro do Borel, na Tijuca, para voltar para a Usina, na zona norte carioca, onde vivia com a mãe e os quatro irmãos. Ele fora buscar saquinhos de pipoca para a festa junina da creche do caçula, que aconteceria no …

por em

O que quer a oposição na Venezuela?

Poderia o inimaginável ter ocorrido na Venezuela? Uma oposição paralisada pelos ressentimentos e pelas divergências estratégicas parece ter conseguido se unir. A ideia de que a reeleição do presidente Nicolás Maduro em maio de 2018 carecia de legitimidade ajudou a construir pontes para além dos antagonismos que até então pareciam intransponíveis. Majoritariamente antimaduristas, os deputados …

por em

A sombria carreira do enviado especial norte-americano à Venezuela

O anúncio pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, da nomeação do neoconservador Elliott Abrams ao posto de enviado especial à Venezuela, no dia 25 de janeiro de 2019, não passou despercebido. A imprensa interpretou a decisão de confiar a esse homem a missão de trabalhar para a destituição do presidente Nicolás Maduro como uma …

por em

Retrato do intelectual como soldado

Diante de uma tela, um soldado pilota um drone. A milhares de quilômetros do centro de controle, ele abre fogo contra pessoas no solo. Essa cena agora comum acontece no Iraque, no Iêmen e na África como parte da luta contra a Al-Qaeda no Magreb islâmico e contra o Boko Haram. Como identificar o inimigo? …

por em

A repressão contra os uigures no controlado mundo do “sonho chinês”

O que está acontecendo no Xinjiang, no extremo oeste da China? Em setembro de 2018, a organização Human Rights Watch alertou sobre violações dos direitos humanos de uma amplitude sem precedentes contra os uigures – população turcófona e muçulmana –, e também contra cazaques, uzbeques etc.1 As autoridades chinesas negam e falam em combate ao …

por em

Somente para meus olhos

A subordinação dos militares ao poder civil é unanimidade nos estudos acadêmicos sobre relacionamento civil-militar em regimes democráticos. Não há democracia sólida se os militares não aceitarem e serem comandados de fato por um poder civil. A lógica é que as instituições civis, ao representarem o desejo popular, definem a política a ser seguida. Aos …

por em

Notas para entender os militares brasileiros na atualidade

Historicamente, a América Latina tem se caracterizado por ser uma região onde as relações civis-militares se desenvolveram de forma bastante atribulada. No caso da experiência brasileira, maior país e economia deste espaço geográfico, isso não foi diferente, particularmente no período republicano, nascido sob o signo da espada ainda no século XIX. Foi a partir da …

por em

A guerra contra os diferentes

Como entender e superar esta polarização e violência que marcam nossa convivência como brasileiros e brasileiras nos dias de hoje? O primeiro passo é olhar para a situação real. Pelo lado do cidadão e da cidadã comuns, o que todos sentem na pele é o desemprego, a precarização do trabalho e das condições de vida, …

por em

Chegar ao fundo do poço… e continuar cavando?

“O pior ainda não aconteceu a ponto de podermos dizer: isto é o pior.” Nos dias que correm, a diplomacia francesa lembra esse verso de Rei Lear. No fim do quinquênio de François Hollande, acreditávamos ter chegado ao fundo do poço;1 alguns previam mesmo um arroubo de orgulho. Afinal, como os Estados Unidos exibiam seu …

por em

Por uma “Primavera Europeia” em maio

A crise financeira planetária de 2008 – a de 1929 de nossa geração – desencadeou uma reação em cadeia em toda a Europa. Em 2010, ela já tinha destruído os alicerces da zona do euro, levando os membros do establishment a transgredir suas próprias regras a fim de salvar os investimentos de seus amigos banqueiros. …

por em

A justiça transfigurada pelas vítimas

Por muito tempo, as vítimas e seu sofrimento foram negligenciados por uma justiça que tinha por objetivo prioritário sancionar o criminoso e proteger a sociedade. Progressivamente, elas viram seus direitos serem reconhecidos e o surgimento de um estatuto, o que tornou possível, em muitos casos, uma reparação mais justa do dano sofrido. Os movimentos feministas …

por em