Junho 2019

Edição 143

R$ 14,90Comprar

RESENHAS

Miscelânea

“Sintomas mórbidos: a encruzilhada da esquerda brasileira” e “Economia para poucos: impactos sociais da austeridade e alternativas para o Brasil”


ESCALADA CONTRA O IRÃ

Um capricho norte-americano

Asfixiando economicamente o Irã com a ajuda dos capitais e das grandes empresas ocidentais (coagidas e submissas), Washington acha que seu embargo obrigará Teerã a capitular. Esperam, pois, uma reação iraniana que em seguida apresentem, triunfalmente, como uma agressão a exigir a “resposta” norte-americana.


EDITORIAL

Idiotas úteis

Edição 143 | Brasil

O corte nas verbas da educação levou mais de 1 milhão de pessoas às ruas no dia 15 de maio. O governo não se sensibilizou com as mobilizações e o presidente classificou os manifestantes de “idiotas úteis”. Nesse mesmo dia, como uma retaliação às amplas manifestações por todo o Brasil, Bolsonaro assinou um decreto presidencial retirando a autonomia das universidades a partir de 25 de julho. É um decreto inconstitucional. É uma provocação.


CAPA

Os direitos LGBT sob o governo Bolsonaro

Edição 143 | Brasil

Mobilizando valores associados à defesa da família tradicional, à heterossexualidade compulsória e a uma visão de mundo religiosa, as bandeiras do presidente eleito refletem o êxito de um pânico moral há tempos alimentado e que coloca em linha de tiro, precisamente, a comunidade LGBT


MÃES PELA DIVERSIDADE

“Nossos filhos não vão ser estatística”

Edição 143 | Brasil

ONG presente em quase todo o Brasil reúne mais de 2 mil pais e mães de pessoas LGBTQIA+ para lutar contra a violência cotidiana praticada contra seus filhos. A meta da Mães pela Diversidade é formar uma rede de proteção e espalhar informação para combater o preconceito, de modo que ninguém mais precise passar pelo que eles passaram


CONTRA O PATRIARCADO E O CAPITALISMO

A resistência LGBTI+ e a política de morte bolsonarista

Edição 143 | Brasil

Levantamo-nos, nos unificamos e obtivemos legítimos e brilhantes 6×0 no STF, que já conseguiu maioria para estabelecer a criminalização da LGBTfobia. Agora, tanto o Congresso, omisso há anos, como o governo LGBTfóbico, patriarcal, racista e machista terão de correr atrás e nos engolir como garantidores de direitos mesmo assim


NEM TODA POSSE DEVE SER ABOLIDA

O mito de que o comunismo é contra a propriedade privada

O que o comunismo defende é a expropriação da propriedade privada capitalista pelo povo. Não se trata de não ter casa, sítio… Não é desse tipo de propriedade que o comunismo tem ojeriza, mas daquela que se constituiu de forma violenta, por meio do roubo e da invasão


COMO MATTEO SALVINI CONQUISTOU A ITÁLIA

Nacionalismo europeu acha seu arauto

Edição 143 | Itália

Quando Matteo Salvini assumiu a direção da Liga Norte, em 2013, esta vivia um impasse, incapaz de seduzir os eleitores do sul, os quais o partido não parava de fustigar. O atual ministro do Interior então mudou o alvo, voltando-se aos tecnocratas de Bruxelas e aos “migrantes aproveitadores” – uma estratégia vitoriosa, que transformou seu partido em pivô da política italiana e, quem sabe, europeia


MÍDIA BRITÂNICA TENTA DESTRUIR JEREMY CORBYN

Antissemitismo, o golpe final

Edição 143 | Reino Unido

“Incompetente”, “espião russo”, “perigoso radical”… O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, já foi tudo isso, de acordo com seus adversários. Contudo, apesar de ser tão infundada como as outras, uma acusação parece ter se imposto na mídia dominante: a de antissemitismo. Uma operação para desqualificar de cara qualquer oponente


AUTORIDADES FRANCESAS RENUNCIAM A SEU PAPEL

Urbanismo à deriva

Edição 143 | França

Para reconstruir a catedral de Notre-Dame de Paris, o governo francês planeja contornar as regras que disciplinam os concursos de arquitetura e os contratos públicos. No entanto, essa decisão, que pôs em alerta os profissionais da área, apenas dá sequência a um movimento de desregulamentação existente há cerca de dez anos


CIDADES VIGIADAS

Safe city, ou o governo dos algoritmos

Edição 143 | França

As ferramentas de vigilância policial com base no Big Data e na inteligência artificial se multiplicam em várias cidades francesas. Graças a experiências lideradas por grupos privados que procuram alcançar o nível da concorrência norte-americana ou chinesa, a smart city revela seu verdadeiro rosto: o de uma cidade vigiada


RENASCIMENTO DE UMA IDEOLOGIA HÁ MUITO DESPREZADA

Socialismo nos Estados Unidos: por que hoje?

Edição 143 | EUA

Nem a eleição de um bilionário nem o forte crescimento econômico impediram a alta na popularidade de personalidades que se proclamam socialistas nos Estados Unidos. A desigualdade de renda e a precariedade do emprego explicam esse paradoxo aparente. Porém, no século XX, quando o capitalismo norte-americano também não tinha um caráter social, poucos o combatiam


SOCIALISTAS NORTE-AMERICANOS

“Não tínhamos dinheiro nem para comprar um bebedouro”

Edição 143 | EUA

Há cerca de dez anos, ser socialista nos Estados Unidos ainda era um trabalho para abnegados. A candidatura de Bernie Sanders nas primárias democratas de 2016 – quando ele surpreendeu as expectativas, mas perdeu a indicação para Hillary Clinton – tornou essa opção menos ingrata, assim como testemunha a narrativa de uma nova experiência militante


DOSSIÊ ESTADO DE CHOQUE

Simulacros: a hiper-realidade do extermínio

Edição 143 | Brasil

Trabalhamos com 316 ocorrências de resistência seguida de morte, que somavam 388 vítimas da ação policial letal. Em 22 dessas ocorrências foram apreendidos apenas simulacros de arma de fogo e em catorze não houve apreensão de arma alguma. Confira o quinto artigo do dossiê “Estado de choque”, série de seis análises que publicaremos até julho de 2019


ENTREVISTA JON LEE ANDERSON

“A Venezuela é a grande questão da América Latina no século XXI”

Edição 143 | Venezuela

O premiado repórter da The New Yorker discorda de quem chama Nicolás Maduro de ditador e ouviu Guaidó declarar-se um “social-democrata” e fã de Bernie Sanders


UMA NOVA CONSTITUIÇÃO SUCEDE À DE 1976

Um grande debate… à cubana

Edição 143 | Cuba

Desde que tomou posse, em 2006, Raúl Castro luta pela “atualização” do modelo cubano. Inicialmente, limitou suas ambições às reformas econômicas, garantindo que poderiam abrir as vias para uma nova organização política. Um primeiro passo nesse sentido ocorreu em fevereiro, quando os cubanos foram convidados a se pronunciar sobre a nova Constituição


UM PROCESSO REVOLUCIONÁRIO DE LONGO PRAZO

O Sudão e a Argélia reacenderam a chama da Primavera Árabe?

Os movimentos populares que se opõem aos regimes argelino e sudanês contrastam com a regressão contrarrevolucionária que atravessa o mundo árabe desde o início da década. Em ambos os casos, os poderes constituídos sob bases militares não podem conduzir eles próprios uma transição destinada a eliminar sua influência no Estado e em seus recursos


CIDADE AFRICANA CHACOALHADA PELOS DITAMES DA UNIÃO EUROPEIA

Agadèz, o muro anti-imigração da Europa

Edição 143 | Níger

Situada às portas do Saara, Agadèz tornou-se um posto de controle dos movimentos populacionais em direção ao norte da África e ao Mediterrâneo. Sob pressão da União Europeia, que instalou uma força militar na região, o Níger proibiu a ajuda à imigração, afundando a economia local no caos


CAEM OS PEQUIS, PASSAM-SE OS TEMPOS, SURGEM OS AVANÇOS, OS DESAFIOS E O 2019 DO CAOS

Relato da vivência na universidade pública de quem não é um idiota útil

Edição 143 | Brasil

Estamos diante de um governo que não está preocupado em solucionar problemáticas recorrentes; estamos vendo um descaso com as universidades, com enormes cortes que podem paralisar o ensino, como já anunciado por instituições como a UFT, que prevê a ausência de água e energia nos próximos meses, nos campi de todo o estado. As manifestações continuarão. Resistiremos, como os povos indígenas de todo o país, desde a invasão dos europeus.


BOB WOODWARD

Um ícone do jornalismo

Os autênticos lançadores de alerta nos últimos anos – Chelsea Manning, Julian Assange, Edward Snowden –, aqueles que nos “transmitem a informação, qualquer que seja seu custo”, são mais frequentemente perseguidos pela justiça norte-americana do que clientes do departamento de publicidade da CBS, como o Washington Post