Miscelânea

O CORPO INTERMINÁVEL O que fazer quando o exílio de outrem se encontra dentro de você? Daniel apalavrou essa busca nos significados da história da mãe, uma guerrilheira desaparecida na ditadura civil-militar (1964-1985). Mãe e filho não apresentados, ou reconhecíveis, são ligados pelos desaparecimentos de corpos representados. Como narra a autora: “o instante da separação …

por em

Em Liverpool, o futebol como definidor da identidade

É um momento de comunhão famoso em todo o mundo. Antes de cada partida do Liverpool Football Club (Liverpool) em casa, os torcedores, entre eles os da kop, parte da arquibancada onde se reúnem os mais fervorosos, entoam o hino “You’ll Never Walk Alone” [Vocês nunca caminharão sozinhos], símbolo de uma devoção total a um …

por em

Moscou sonha se tornar uma “cidade global”

Ao pé do Kremlin, turistas – russos e estrangeiros – armados com seus paus de selfie acotovelam-se na passarela do novo Parque Zariadie, sobre o Rio Moscou. Em uma síntese das paisagens russas, o parque integra estepe, tundra, floresta e pântanos. Ele oferece ainda uma caverna de gelo, um museu arqueológico, restaurantes de alta gastronomia, …

por em

Mistérios e o poder da frota pesqueira chinesa

Para quem navega em alto-mar, o poder e o destemor da frota pesqueira chinesa são incontestáveis. Em 2019, quando passamos uma semana a bordo de uma unidade da polícia marítima da Gâmbia patrulhando mais de 150 quilômetros de costa, assistimos à inspeção de quinze embarcações estrangeiras acusadas de violações do direito trabalhista e pesca ilegal. …

por em

A revolta das sul-coreanas

Em 11 de abril de 2019, os juízes da Corte Constitucional da Coreia do Sul proferiram um veredicto histórico: por sete votos a dois, decidiram que a criminalização do aborto, em vigor havia décadas, era ilegal. As sul-coreanas não precisam mais se esconder; uma grande vitória para as associações feministas. “O resultado de anos de …

por em

PPPs, as “privatizações disfarçadas” na África

Cada vez mais criticadas no Ocidente, as parcerias público-privadas (PPPs) estão se multiplicando na África. Em 2018, o Banco Mundial identificou 460 em todo o continente. África do Sul, Nigéria e Quênia foram os pioneiros desses contratos, que agora se estendem em direção ao oeste africano: Gana, Costa do Marfim e Senegal. Elogiadas por sua …

por em

A Polônia apega-se ao seu carvão

Em 2018, a Polônia extraiu 63,4 milhões de toneladas de carvão (fora o linhito), ou seja, 86% da produção total da União Europeia. Embora, desde 2012, esse número tenha caído 20%, a redução parece fraca em comparação à da Alemanha durante o mesmo período: 76%, apesar de possuir reservas mais significativas.1 Todavia, esse rico vizinho …

por em

Uma medicina influenciável

“Eu me recuso, hoje, a recomendar o uso da máscara para todos e jamais o governo a recomendou. Se a recomendássemos, seria incompreensível.” Afirmações como essas não emanam de “negacionistas” nem de outros “conspiradores”. Elas foram proferidas pelo presidente da República francesa em meados de abril de 2020,1 quando a Covid-19 já tinha causado a …

por em

Uma pandemia, dois futuros

Os economistas raramente se interessaram pelos processos pelos quais se constroem as regras do jogo, as instituições e as organizações, cuja conjunção garante a resiliência de um regime socioeconômico. Sua incompreensão da longa depressão que se seguiu ao desmoronamento do regime soviético na Rússia testemunha essa lacuna. No entanto, com as devidas proporções, é exatamente …

por em

A nova ordem mundial que se aproxima

“Guiar o mundo democrático.” É esse o slogan que parece resumir o programa de política externa de Joe Biden. Para precisar o conteúdo dessa ambição, o candidato democrata à eleição presidencial norte-americana assinou em março de 2020, na Foreign Affairs, uma coluna com o título “Por que a América deve liderar de novo”. No texto, …

por em

No Terceiro Mundo, o confinamento é devastador

Assim como as consequências das mudanças climáticas são sentidas em todas as latitudes, a pandemia de Covid-19 não poupa ninguém, rico ou pobre, chefe de Estado ou refugiado. No entanto, sabemos que essas crises planetárias não atingem da mesma forma todos os seres humanos. Além de haver vulnerabilidades diferentes dependendo da idade e dos diversos …

por em

A direita popular em São Paulo

A cidade de São Paulo teve prefeitos eleitos na Primeira República, mas só entre 1953 e 1965 (e de novo a partir de 1985) eles se submeteram realmente ao voto popular. Apesar da interrupção do período ditatorial, o sistema partidário orientou o eleitorado e produziu alguns traços de longa duração. Antes de 1964, políticos como …

por em

Salvador tem direita para todos os gostos

Não se pode dizer que Salvador esteja mal servida de direita nestas eleições. Após dois mandatos de ACM Neto (DEM) na prefeitura e catorze anos do Partido dos Trabalhadores à frente do governo estadual, são três os candidatos que dividem a atenção desse eleitorado que se fortaleceu e elegeu, pela primeira vez, um presidente da …

por em

Armas, privatizações e tribunais

A eleição para a Prefeitura do Rio de Janeiro tem o maior número de candidatos em vinte anos. Concorrem, pela esquerda, Benedita da Silva (PT), Renata Souza (Psol), Henrique Simonard (PCO) e Cyro Garcia (PSTU) e, ao centro, Martha Rocha (PDT), Clarissa Garotinho (Pros), Eduardo Bandeira de Mello (Rede) e Suêd Haidar (PMB). Este artigo …

por em

O conservadorismo pernambucano: uma breve história

O populismo como matéria política da direita está presente com força no Brasil após o período da redemocratização. Ele se espraia de diferentes modos pelo país e na maioria dos estados ainda mantém a forma do coronelismo. Este último tomado – seguindo aqui uma definição mínima – como uma política oligárquica voltada aos interesses regionais …

por em

Porto Alegre e suas contradições eleitorais

Porto Alegre é uma cidade eleitoralmente complexa. Nas últimas cinco eleições presidenciais, desde a primeira vitória de Lula até a de Bolsonaro, seus eleitores votaram majoritariamente, por duas vezes, em candidatos vencedores, por coincidência com a mesma proporção de votos no segundo turno. Em 2002, Lula obteve 56,23%; em 2018, Bolsonaro teve 56,84%. As demais …

por em

A direita disputa Fortaleza

Desde 2018, especula-se em que medida a onda conservadora e de direita conseguirá se reproduzir em nível municipal. Na análise de Antonio Lavareda e Antônio Fernandes,1 os aspectos que tornaram 2018 uma disputa crítica já estavam anunciados no último pleito municipal: crise econômica, rejeição ao PT e candidatos outsiders vitoriosos. Devemos, portanto, pensar as candidaturas …

por em

O poder local tem papel crucial na reconstrução da democracia

Em 2020 teremos as primeiras eleições após a ascensão dos partidos de ultradireita para o centro do cenário político brasileiro, ainda na esteira do golpe de 2016. Com praticamente metade de seu mandato completo, a eleição pode servir de referendo para o governo Bolsonaro e sua avalanche conservadora no Congresso, nas assembleias e nos governos …

por em

Para você que vai votar!

Estamos às vésperas de escolher 5.570 prefeitos(as) e 56.600 vereadores(as). Na cidade de São Paulo são 14 candidatos(as) à prefeitura e 1.997 candidatos(as) à vereança, segundo o TSE. Disputam 55 vagas. Nas capitais são 24.133 candidaturas. Ao todo, são 545.036 pessoas inscritas até 28 de outubro de 2020 para disputar o pleito. É muita gente! …

por em

“Nada vem sendo feito há trinta anos”

Já confrontada com angústias sanitárias, ecológicas, econômicas e sociais, a sociedade francesa precisa lidar também com uma série de golpes sob a forma de atentados terroristas. Querem então mobilizá-la para a “guerra”. Mais uma. Contudo, por ser o inimigo quase sempre indetectável, sua destruição requer sempre um arsenal mais potente que o precedente. Não – …

por em