De olho no petróleo

Podemos assinalar pelo menos duas razões externas para a violação do território equatoriano pelo exército da Colômbia em março passado. A primeira é a existência de uma estratégia americana para manter seu status de potência hegemônica global. A segunda são os meios empregados para a sustentação e o reposicionamento de tal supremacia, apoiados tanto por …

por em

A mão dos EUA

O ataque da Colômbia ao território do Equador não foi casual. Planejado, subordinou-se a uma estratégia posta em prática desde o começo de 2007, quando o presidente colombiano Álvaro Uribe formou a Dipol, uma unidade de inteligência cujo objetivo era a localização dos sete membros do Secretariado das Farc 1. A operação militar – que …

por em

Como o homem mais rico juntou seus tostões

Quando lemos os perfis do mexicano Carlos Slim, que inundaram a imprensa depois que ele entrou para o primeiro lugar na lista das maiores fortunas do planeta, temos a impressão de que seu modo de vida parece mais próximo do de um mexicano comum do que de um integrante do jet-set, grupo pelo qual ele …

por em

Sem “tortillas” nem empregos

Noite de reiveillon no México. Sob uma enorme faixa com os dizeres “Sin maíz no hay país” (“sem milho não há país”), milhares de lavradores formaram uma corrente humana em Ciudad Juárez, na fronteira com os Estados Unidos. Era o 14° aniversário do Acordo de Livre-comércio Norte-americano (Nafta), estabelecido em 1° de janeiro de 1994 …

por em

Miami se cansa da extrema-direita cubana

Aqui é como em Cuba, mas com comida!”. O sol se põe em Miami e poderíamos nos imaginar em Havana: faz mais de 20°C em fevereiro, fim do inverno no hemisfério Norte. Por todos os lugares, ao invés de arranha-céus, palmeiras se abraçam. O recorte de um grande “M” amarelo de uma loja do McDonald’s …

por em

O “amigo” inconveniente

É fato que as análises sobre o vínculo transatlântico entre Europa e Estados Unidos vêm se multiplicando. O ex-primeiro-ministro francês Edouard Balladur1, por exemplo, preconiza um novo equilíbrio entre os dois atores na administração da segurança mundial. Afoito, considera “Ocidente” sinônimo de “democracia” em seu último livro. A opinião é compartilhada pelo relatório Towards a …

por em

Desenvolvimento local

Muito se fala sobre a globalização. E ela sem dúvida é real. No entanto, quando observamos os componentes do cotidiano – o médico da família, a escola das crianças, o hortifrutigranjeiro dos ingredientes que abastecem a cozinha, a segurança das ruas, as soluções do trânsito, enfim, o grosso dos elementos que definem a nossa qualidade …

por em

Economia solidária 1

Durante o século XX, o capitalismo se adaptou à democracia política e completou sua expansão global. Neste apogeu mais recente, ensejou uma revolução digital e, ao mesmo tempo, um regresso à fase ‘selvagem’ de sua própria história, em que a competição entre os países e dentro deles quase não conhece limites. Em conseqüência, o desemprego …

por em

Economia solidária 2

Embora o debate sobre economia solidária seja salutar, parte das teses correntes baseia-se mais em convicções intelectuais arraigadas do que em fatos, às vezes conhecidos superficialmente. Discute-se muito, mas pouco se problematiza sobre os dados objetivos. Poderia ser diferente. Em universidades e centros de pesquisa aparecem, a cada mês, novas investigações sobre pormenores dessas experiências. …

por em

Escravidão à francesa

“Infelicidade! Nossos cidadãos encarcerados nesses locais, Servem para cimentar esse alojamento odioso; Com as próprias mãos eles erguem, nos ferros aviltados, Essa morada do orgulho e da tirania. Mas, creia-me, no momento em que eles virem seus vingadores Eles mesmos destruirão essa assustadora obra, Instrumento de sua vergonha e de sua escravidão”1. Com esses dizeres, …

por em

Enquanto é tempo

Em outubro de 1962, o mundo viveu 13 dias de extraordinária tensão. O episódio, que ficou conhecido como “a crise dos mísseis”, quase levou as duas superpotências militares da época – os Estados Unidos e a União Soviética – ao confronto total1. Da guerra fria à guerra quente, dos insultos limitados à destruição sem limites. …

por em

Fernando Gabeira: “o Rio tem futuro”

Diplomatique: Os cariocas têm uma postura extremamente crítica em relação aos políticos. Desconfiam – com bons motivos – da competência e idoneidade dos governantes. Você construiu, em sua vida pública, uma imagem de honestidade, de integridade, que é amplamente reconhecida e valorizada. Se eleito, como é que o Gabeira prefeito pode atuar para que o …

por em

O que é ser vereador

A arte de fazer leis guarda curiosa correspondência com a arte do corte e da costura. Se o alfaiate ou estilista partem da idéia que têm da peça de vestuário que querem produzir, o legislador parte da visão de mundo que quer tornar obrigatória nas relações humanas. Nessa ação, tanto os que manejam tesouras como …

por em

Amazônia: sob a ação do fogo e da motosserra

As taxas de desmatamento da Amazônia vinham caindo nos últimos anos. Depois do pico de 27.379 km2, de 2003 para 2004, baixaram a 11.240 km2, entre agosto 2006 e agosto 20071. Mas, em janeiro de 2008, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) anunciou que “os novos desmatamentos detectados pelo Deter (Sistema de Detecção do …

por em

O aquecimento e as cidades brasileiras

O governo dos Emirados Árabes anunciou recentemente o início da construção de Masdar City 1, a primeira cidade do mundo pretensamente com emissão zero. O projeto, desenvolvido em colaboração com a WWF 2, deverá ter sua implantação concluída até 2012. Prevê, entre outras coisas, que a energia será produzida por meio de sistema fotovoltaico solar, …

por em

A asfixia das Farc

No dia 27 de fevereiro de 2008, o intercâmbio humanitário parecia finalmente ter encontrado um novo caminho para trilhar na Colômbia. A libertação de quatro congressistas, mantidos reféns durante seis anos pelas Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), despertava esperança nos setores favoráveis a uma solução política do conflito1. Como em uma partida de xadrez, …

por em

A fábrica do desejo

Foi em 1996. Uma notícia como outra qualquer. Os seguranças de uma grande loja haviam pego um menino de dez anos com um joguinho eletrônico que ele acabara de roubar, por não ter dinheiro. Para dar-lhe uma lição, a direção da loja foi severa: uma hora de intimidação e voltar para casa entre os dois …

por em

Autoritarismo 2.0

Em 1991, quando Saddam Hussein foi expulso do Kuwait, uma nova ordem mundial surgiu no horizonte. Ao menos era isso o que queria fazer crer, ao final da guerra do Golfo, a retórica otimista desencadeada pela queda do muro de Berlim. Daquele momento em diante, as regras do direito internacional e as resoluções das Nações …

por em