Hora de redirecionar os recursos

Em poucas palavras: trata-se de aproveitar a crise financeira global para redirecionar as capacidades financeiras em função dos desafios reais do planeta, que são o drama ambiental e a desigualdade. Exemplo prático, que é mencionado por uma das propostas mais interessantes, o Global Green New Deal das Nações Unidas: a Coreia do Sul montou um …

por em

FMI: mais forte e impositivo

Segundo informou o comunicado de 2 de abril de 2009, o grupo dos 20 principais países ricos e emergentes, o G20, reunido em Londres, adotou um “programa de US$ 1,1 trilhão” com o objetivo de alimentar um “plano global visando promover uma recuperação econômica numa escala inédita na história”. O principal beneficiário da operação foi …

por em

Economias “verdes” e crescimento zero

Os últimos meses, a ideia de um “New Deal verde” vem seduzindo um número crescente de dirigentes políticos no mundo todo. Em reação à crise financeira as autoridades americanas e chinesas decidiram investir na melhoria das infraestruturas públicas e na produção de energias renováveis, mas as virtudes sociais e ecológicas atribuídas a esse tipo de …

por em

A geopolítica das manifestações

Muito antes de a atual crise econômica atingir sua intensidade máxima, em setembro de 2008, sinais da tempestade que se aproximava eram visíveis em perturbações locais por todo o mundo. Na primavera de 2008, com os preços de muitas commodities básicas subindo até atingir níveis inéditos, e os salários ficando para trás nessa corrida em …

por em

O sonho indestrutível de um mundo melhor

O ambiente da época tinha uma tonalidade vermelha1. Ao longo de duas décadas, das sierras da América Latina aos arrozais da Ásia, passando pelos djebels (montanhas) da África do Norte, um mesmo furacão parecia varrer a antiga ordem colonial e a dominação econômica do Hemisfério Norte. Em 1956, o presidente egípcio Gamal Abdel Nasser deu …

por em

Elogio às revoluções

Já se passaram 220 anos da Revolução Francesa, mas seu corpo ainda se mexe. E isso apesar do próprio François Mitterrand ter convidado Margaret Thatcher e Joseph Mobutu para o enterro, durante as cerimônias do bicentenário, vinte anos atrás. O ano da comemoração foi também o da queda do muro de Berlim, e Francis Fukuyama …

por em

A saga dos piqueteiros

Com a reeleição do presidente Carlos Menem em 1995, a facção neoliberal do peronismo parecia consolidar seu poder. O mercado seduzia os setores médios e exibia sua capacidade de organizar e disciplinar a sociedade. Porém, a conversibilidade monetária, que equiparava forçadamente o valor do dólar ao do peso, o incremento na quantidade de “perdedores”, determinado …

por em

Entre a Bíblia e a motoserra

Há um Brasil que compartilha passado e presente. Na encruzilhada de sua história, longe das oscilações da Bolsa de Valores e do avanço da tecnologia agrícola, um pequeno mundo selvagem sobrevive. São 69 povos com pouco contato com a “civilização nacional”. O remanescente da resistência cultural de cinco séculos. Sociedades indígenas dizimadas por doenças, rasgada …

por em

Perversos contratos de trabalho

A cada ano, milhares de trabalhadores rurais vindos de regiões pobres do país são obrigados a trabalhar em fazendas e carvoarias. Submetidos a condições degradantes de serviço e impedidos de romper a relação com o empregador, eles permanecem presos até que terminem a tarefa para a qual foram aliciados, sob ameaças que vão de torturas …

por em

A vida louca

O centro de San Salvador há um grande muro de mármore negro no qual estão gravados os nomes de 25 mil pessoas. Mortas ou desaparecidas, elas são as vítimas civis da repressão empreendida pelo governo, apoiado por grupos paramilitares, entre os anos 1970 e 1980 e, em seguida, da guerra civil que arrasou o país …

por em

O sonho acabou

Quando Lee Myung-bak, o presidente de centro-direita, chegou ao poder em fevereiro de 2008, tinha prometido uma “Coreia globalizada” com US$ 40 mil de rendimentos anuais por habitante. Só não sabia que, doze meses mais tarde, seu país seria um dos mais atingidos pela crise do neoliberalismo, no qual ele baseava sua política. Também não …

por em

Zâmbia: privatização, poluição e pobreza

Peter e Irene1 têm 30 anos. Engenheiros diplomados pela Universidade de Lusaka, trabalham, desde 2006, em Chingola, pequena vila do Copperbelt (cinturão do cobre) da Zâmbia. São empregados da Konkola Copper Mine (KCM), principal empresa de extração desse país da África Austral cuja metade do Produto Interno Bruto (PIB) vem da exploração mineral. Produtora de …

por em

A máfia do efeito estufa

Em escala planetária, a Austrália é o maior emissor de gás de efeito estufa por habitante. Por isso, para o professor Mark Diesendorf, co-diretor do Instituto de Estudos Ambientais da Universidade de New South Wales, em Sidney, se a Austrália conseguir reduzir suas emissões, todos os outros países desenvolvidos serão obrigados a fazer o mesmo. …

por em

Educação popular e cultura

A palavra “Cultura”, no singular e com letra maiúscula, suscita uma espécie de religiosidade baseada nesse novo sagrado, a arte. A redução da cultura à arte representa uma catástrofe intelectual para todo homem ou mulher progressista. Se “cultura” quer dizer apenas “arte”, então a ação sindical, as lutas das minorias, o feminismo, a história, os …

por em

Sinais de instabilidade política

Não demorou muito para que surgissem perguntas da parte de quem paga impostos. De onde saiu tanto dinheiro para socorrer o sistema financeiro, se os compromissos assumidos pelos governos dos países mais industrializados com a erradicação da pobreza, como os Objetivos do Milênio, não conseguiram mobilizar sequer uma pequena fração dos recursos destinados a socorrer …

por em

Candomblé: da resistência à politização

O candomblé é a denominação genérica das religiões de matriz africana, difundidas e praticadas no Brasil, especialmente na Bahia, onde surgiram os primeiros e mais tradicionais terreiros (templos). Há cerca de 1.410 terreiros em Salvador. Essas manifestações religiosas se dividem, no Brasil, em quatro nações principais, a partir da região africana de onde vieram os …

por em

Quo vadis capitalismus?

Como socialista, eu deveria estar exultante com a talvez mortífera crise que o sistema atravessa; mas eu sou socialista ao estilo de Marx: o sistema somente será superado (a língua alemã tem um vocábulo mais apropriado, que quer dizer simultaneamente superação por compreensão e absorção, mas eu não sei alemão e fico por aqui) quando …

por em

Africanidade musical brasileira

A música popular brasileira é um orgulho nacional. Até hoje o mundo celebra o samba, a bossa nova e o nosso jazz, inventados por geniais antropófagos como Tom Jobim e Hermeto Pascoal, passando por Paulo Moura e Airto Moreira, para citar apenas alguns. Em maior ou menor grau, todas essas criações beberam na fonte da …

por em

Tremor no teto no mundo

Dois meses depois, as manifestações ocorridas no Tibete em março de 2008 continuam repercutindo intensamente. Naquela ocasião, durante quinze dias, milhares de tibetanos ganharam as ruas de diversas cidades e enfrentaram as forças armadas chinesas com bandeiras e palavras de ordem a favor da independência. A repressão não tardou e as imagens que furaram o …

por em

O despertar paraguaio

Tudo tem um fim neste mundo. Até mesmo o inabalável monopólio de 61 anos do Partido Colorado no governo paraguaio chegou ao fim. E mais: por obra de um religioso alinhado com a Teologia da Liberação. Para o Paraguai, é uma revolução, e uma revolução inteiramente democrática. As eleições de Lula no Brasil, Bachelet no …

por em

Por uma segunda abolição

Minha pele é negra, minha cor é a humanidade. Eis a mensagem de um brasileiro de corpo negro, mas de alma mestiça. Um brasileiro que passou a perceber o Brasil não só por sua ancestralidade essencialmente africana, mas pela graça da mistura, que reúne ameríndios, africanos e europeus nesse país-continente chamado Brasil. Culturas originariamente tão …

por em

Eu, negro

Hoje não, que as possibilidades ainda são menores, mas, no meu tempo de garoto, o discurso mais comum de pai para o filho negro era este: “Você tem que estudar, pra ser o melhor. Nós temos que ser sempre os primeiros, pra podermos, aí sim, chegar em quarto, quinto lugar”. Traduzido em bom português, esse …

por em

No rastro do povo de Luzia

A descoberta de Luzia1, o mais antigo esqueleto humano até o momento encontrado na América, seria suficiente para assegurar o ingresso da arqueologia brasileira na maioridade. Mas o estudo desse fóssil traria ainda duas revelações bombásticas. Sua idade, estimada entre 11.000 e 11.500 anos, desafiava o modelo hegemônico sobre o povoamento do continente, chamado de …

por em

Muito além do mosquito

A dengue é uma doença viral, mundialmente distribuída, e caracteriza-se pela necessidade da atuação do mosquito Aedes aegypti para consolidar sua cadeia de transmissão. Nesta cadeia estão incluídos fatores virais, ambientais, do agente transmissor e do hospedeiro humano final. Em termos sumários, um Aedes aegypti ainda não infectado pica uma pessoa doente, que carrega em …

por em

Esquerda de cara nova

Em uma das paredes de seu escritório, Klaus Lederer pendurou uma pintura a óleo levemente desbotada. O retrato é do filósofo Karl Marx (1818-1883), seu conterrâneo. Já no computador, a imagem escolhida como fundo de tela é muito mais moderna: trata-se de uma foto multicolorida de uma multidão protestando. Para os alemães de direita, a …

por em

Por um Pacto Federativo Municipalista

O Pacto Federativo brasileiro foi construído de cabeça para baixo. Enquanto na Europa nós tivemos primeiramente o surgimento das cidades-Estado, que com o passar do tempo criaram zonas de influência e, após conflitos diversos entre si, acabaram fundindo-se em países; enquanto nos Estados Unidos, como o nome já sugere, houve uma união, sob o manto …

por em

Garantir o direito à cidade

• Exercício pleno da cidadania e gestão democrática As cidades devem ser um espaço de realização de todos os direitos humanos e das liberdades fundamentais, assegurando a dignidade e o bem-estar coletivo das pessoas em condições de igualdade, eqüidade e justiça, assim como o pleno respeito à produção social do habitat. Todos têm direito de …

por em

A dívida maquiada

O anúncio da elevação do Brasil à condição de credor externo líquido foi bastante festejado pelas autoridades. De acordo com o governo, graças ao aumento de nossas reservas internacionais, pela primeira vez possuímos recursos para pagar as dívidas externas pública e privada. A euforia, no entanto, se justifica apenas numa perspectiva estritamente política. Do ponto …

por em

A fortaleza financeira se abre aos emergentes

“Será o caso de aceitar que os comunistas ou os terroristas se tornem proprietários dos bancos?”, indaga Jim Cramer, um destacado analista do canal por assinatura americano CNBC, especializado em notícias financeiras. O tonitruante comentarista oferece então a seguinte resposta: “Pode ser qualquer um, contanto que solucione o problema, porque nós estamos desesperados”1. A entrada …

por em

Coca: da tradição ao narcotráfico

“Quantas plantas você conhece que fornecem mais cálcio que o leite, mais ferro que o espinafre e tanto fósforo quanto o peixe?”. A provocação da agricultora boliviana Nieves Mamani não é à toa: trata-se de mais uma tentativa de valorizar a coca, sua principal fonte de subsistência. Como centenas de milhares de camponeses andinos ela …

por em

O petróleo da reconstrução

“O maior símbolo da modernidade angolana está em construção”. É assim que as incorporadoras do país se referem à Torre Angola, que em breve dominará o horizonte de Luanda. Lançada em janeiro passado, terá a forma da letra “A” e será a mais alta do continente africano, com 380 metros. São 70 andares que abrigarão …

por em

Israel face à sua história

A intelligentsia israelense conheceu, nos anos 1980, o começo de uma mutação notável, que marca a ascensão de uma nova geração de homens e de mulheres que não conheceram a shoah1 nem a criação do Estado de Israel. Essa evolução é também testemunho do amadurecimento progressivo das elites, daí em diante capazes de julgar sem …

por em

Educação e exclusão

Há dois consensos que podem ser encontrados em qualquer parte deste país e entre qualquer grupo social: a grande importância da educação para a construção de uma sociedade justa, democrática e sustentável; e a insuficiência do sistema público de ensino em garantir, com quantidade e qualidade, este direito. O tema da educação ganhou visibilidade por …

por em

Olimpíadas ameaçadas

Poucos acontecimentos eram tão previsíveis e foram tão minuciosamente planejados. Sede das Olimpíadas de 2008, e com a antevisão de superar os Estados Unidos no ranking das medalhas, a China esperava fazer do evento um espetacular instrumento de propaganda e o marco definitivo de sua ascensão ao pódio das superpotências. Em um país onde o …

por em